Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Hoje tem mais premiação do cinema norte-americano: o Critic’s Choice Awards acontece neste domingo (12.01), em Santa Mônica, na Califórnia.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Uma das categorias que Bazaar ama é a de melhor figurino, que tem cinco concorrentes quentíssimos este ano. Só sentimos falta da nomeação de “Bombshell”, que veste as mulheres da Fox News com um guarda-roupa impecável.

Veja quem concorre:

“Meu Nome é Dolemite”

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Vendedor de discos em uma loja pequena e comediante de pouco sucesso, Rudy Ray Moore (Eddie Murphy) vê sua vida mudar quando começa a ouvir as histórias das ruas para renovar seu repertório, inserindo piadas sujas e repletas de palavrões. Decidido a ampliar seus horizontes, Rudy decide rodar por conta própria um filme estrelado por seu alter-ego Dolamite.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A figurino do filme é de Ruth E. Carter, responsável pelo guarda-roupa marcante de “Pantera Negra”. O destaque vai para a alfaiataria impecável e com pegada vintage dos homens da trama, e os vestidos luxuosos e joias poderosas usadas pelas mulheres.

“Rocketman”

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Fortíssimo candidato, “Rocketman”, filme que conta a história de Elton John, tem figurino de Julian Day, que também fez o premiado “Bohemian Rhapsody”, sobre Fred Mercury.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Nenhum filme sobre o astro britânico seria fiel a seu espírito sem os figurinos excêntricos. Day recriou algumas das roupas mais famosas, mas também inventou outras a partir do zero – “Rocketman” é um misto de biografia e de musical com elementos de fantasia. “Minha peça favorita é um macacão de neoprene laranja com chifres, coberto de cristais Swarovski”, contou Egerton. “Mas foi muito libertador quando não visto muita coisa, como hot pants apenas. Nada do que Julian colocou na minha frente me deixou embaraçado, porque Elton John sempre foi ousado.”, conta o ator Taron Egerton.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

“Amei o figurino de ‘Yellow Brick Road’, e obviamente me inspirei em ‘O Mágico de Oz’. Por isso, o terno azul com sapatos de pedras vermelhas feitos com cristais Swarovski. A camisa é feita de tecido prateado, assim como o Homem de Lata, e tem um chapéu de palha como o do Espantalho. O casaco de pele falsa representa o Leão”, revela Day.

“Adoráveis Mulheres”

 

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

“Adoráveis Mulheres” é um clássico da literatura norte-americana escrito por Louisa May Alcott em 1868. Na trama, as irmãs Jo (Saoirse Ronan), Beth (Eliza Scanlen), Meg (Emma Watson) e Amy (Florence Pugh) amadurecem na virada da adolescência para a vida adulta, enquanto os Estados Unidos atravessam a Guerra Civil. Com personalidades completamente diferentes, elas enfrentam os desafios de crescer unidas pelo amor que nutrem umas pelas outras.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O figurino é de Jacqueline Durran, responsável pelo guarda-roupa de produções como “A Bela e a Fera” e “Anna Karenina” – pelo qual ganhou o Oscar em 2013.

“Era uma Vez em Hollywood”

 

Foto: Reprodução/IMDb
Foto: Reprodução/IMDb

O filme se passa em 1969 e conta a história Rick Dalton (Leonardo DiCaprio), um ator de TV famoso pelo seu seriado de bang bang que está infeliz com a carreira. Ao lado de seu dublê Cliff Booth (Brad Pitt), está decidido a fazer o nome em Hollywood. O ano em que o filme se passa foi de muita revolução no mundo. A Primavera de Praga aconteceu um ano antes, em 1968, quando população da Tchecoslováquia passou a pressionar por mudanças no sentido de reformar os moldes do governo comunista que estava instalado naquele país.

Foto: Reprodução/IMDb
Foto: Reprodução/IMDb

O movimento hippie também ganhou o mundo, e a oposição dos jovens em escala global contra a guerra do Vietnã era intensa. Com isso, a revolução das roupas também foi gigante. As minissaias proliferaram (elas foram inventadas por Mary Quant naquela década), e muitos designer aderiram ao tamanho micro, como André Courrèges, Pierre Cardain e Yves Saint Laurent.

Foto: Reprodução/IMDB
Foto: Reprodução/IMDB

Com toda esta informação de moda, a figurinista Arianne Phillips assinou um guarda-roupa impecável para os personagens da trama. Apesar de nunca ter ganhado um Oscar, ela já foi nomeada duas vezes: pelo filme “Johnny & June”, de 2005; e “W.E. – O Romance do Século”, dirigido por Madonna em 2011.

“O Irlandês”

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O filme dirigido por Martin Scorsese e estrelado por Robert De Niro tem dois figurinistas: Sandy Powell e Christopher Peterson. Sandy é uma veterana com muitos filmes importantes no seu currículo, como “Shakespeare Apaixonado” e “A Favorita”. Christopher Peterson é uma jovem promessa do mercado, e conheceu Sandy quando foi seu assistente na produção “Carol”, com Cate Blanchett e Rooney Mara.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Conhecido como “O Irlandês”, Frank Sheeran (Robert De Niro) é um veterano de guerra cheio de condecorações que concilia a vida de caminhoneiro com a de assassino de aluguel número da máfia. Promovido a líder sindical, ele se torna o principal suspeito quando o mais famoso ex-presidente da associação desaparece misteriosamente.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O figurino é 100% fiel ao estilo de máfia, com ternos bem cortados, camisas coloridas e as estampas psicodólicas que faziam tanto sucesso nos anos 1970.

“Downton Abbey”

 

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O filme inspirado na série de sucesso do Netflix tem figurino de Anna Robbins, que também assinou o guarda-roupa para a televisão na temporada que foi ao ar entre 2014 e 2015. Downton começa em 1912 e agora vai para os anos 1922 e 1923. Em termos de moda, a diferença é enorme. É extraordinário ver a mudança na transformação da roupa feminina. Como elas eram cobertas antes, sem conforto algum, usando corseletes apertados. E tudo isso muda na temporada quatro. Os looks são mais soltinhas, bem mais confortáveis.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Muitos looks de Lady Mary (vivida por Michelle Dokery) são inspirados na grife Vionnet. Lady Rose MacClare (Lily James) abusa do tricô já que, nos anos 20, a realeza passou a adotar o material no dia a dia, não apenas em seus looks esportivos. Muitos vestidos foram inspirados na Lanvin, e uma das maiores mudanças será no visual de Edith (Laura Carmichael).

Leia mais:
“The Crown”: figurino impecável exala a elegância da família real
“Bombshell”: o jeito de se vestir das mulheres da Fox News
Desvendamos o figurino misterioso de “Entre Facas e Segredos”