Foto: Claudia Ruiz

Por Li Lacerda

O ano de 2020 definitivamente colocou todos os nossos valores e pensamentos em xeque. Em poucas semanas, notícias de um vírus varreu continentes e nos colocou frente a frente com o caos, a incerteza e a solidão.

SIGA O RG NO INSTAGRAM

E foi justamente a solidão a matéria-prima para um grupo talentoso de fotógrafos que atendeu ao chamado da Fototech – uma associação formada por fotógrafos de várias partes do País (fundada em 2006) – para que se impusessem o desafio de captar sua arte por meio de suas lentes e telas de computadores.

O resultado desse projeto é o livro “Dias de Solidão” (editora Origem), que possui a curadoria de Adriano Abbud, é um testemunho impresso e magnífico realizado por 23 importantes fotógrafos brasileiros de 7 estados diferentes – e com visões distintas – que mostra uma narrativa criada de uma forma orgânica, construindo um recorte de dos dias de solidão.

Foto: Claudia Ruiz

Os ensaios foram capturados das mais diversas formas: Por vídeo chamada, por celular, pela tela de tv.

A Fototech faz lives semanais para debater projetos e os desafios da fotografia durante e pós-pandemia. As lives são comandadas pela diretoria da Fotetech , os fotógrafos Claudia Ruiz e Phillip Zelante. Veja mais imagens: