"Enciclopédia Negra": livro reúne 416 verbetes sobre personalidades da história brasileira
Foto: Divulgação

No dia 29 de março, as prateleiras de livrarias ao redor do Brasil foram presenteadas com uma obra cada dia mais essencial: “Enciclopédia Negra”, de Flávio GomesJaime LaurianoLilia Moritz Schwarcz.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

No livro, os autores revisitam o período da escravidão e do pós-abolição a fim de restabelecer o protagonismo negro em nossa história. E o fazem alcançando o que há de singular, multifacetado e profundo na existência particular de mais de quinhentos personagens.

O resultado final reúne 416 verbetes biográficos que passam pela história de Abdias do Nascimento a Zeferina e Zumbi dos Palmares e encenam um reencontro do Brasil com a memória silenciada de milhões de pessoas negras que construíram sua história. São profissionais liberais, mães que lutaram pela alforria da família, ativistas, revolucionários, curandeiros, médicos, líderes religiosos que reinventaram outras Áfricas no Brasil, pessoas cujas feições foram apagadas pela história.

Por isso, 36 artistas negros, negras e negres criaram retratos inspirados pelos verbetes desta enciclopédias – que foram reunidos em um belíssimo caderno de imagens. Em um momento de produção e disseminação errática de informações, esta obra contribui para conformar um seguro repositório de experiências individuais e coletivas às quais – como pessoas e como sociedade – podemos recorrer em busca de inspiração e orientação.

Veja na galeria algumas imagens presentes na obra:

Pinacoteca

Além do livro, o projeto da “Enciclopédia Negra”, que conta com o apoio do Instituto Ibirapitanga, inclui outras ações como uma exposição organizada pela Pinacoteca de São Paulo. A mostra homônima reúne 100 retratos de personalidade negras da história do Brasil, produzidos por 36 artistas negros contemporâneos.

Dentre os artistas, estão Antonio Obá, Arjan Martins, Ayrson Heráclito, Castiel Vitorino, Dalton Paula, Daniel Lima, Desali, Igi Ayedun, Juliana dos Santos, Moisés Patricio, Mônica Ventura, Nadia Taquary, Panmela Castro, Paulo Nazareth, Rebecca Carapiá, Renata Felinto, Rodrigo Bueno, Sônia Gomes e Tiago Sant’Ana.

Os retratos integrarão a coleção da Pinacoteca de São Paulo posteriormente, criando uma importante intervenção no que diz respeito à busca por maior representatividade de artista negros, negras e negres no museu. A exposição será a primeira visualização pública do resultado do projeto, que depois irá percorrer outros espaços.