Instalação de Nathan Peter - Foto: reprodução/Bazaar Art
Instalação de Nathan Peter – Foto: reprodução/Bazaar Art

Por Kenya Zanatta

Organizado pelo terceiro ano consecutivo, o setor Showcase permite que galerias apresentem projetos curatoriais. Cada uma das 18 galerias que compõem o setor apresenta obras de três artistas, desde nomes já reconhecidos no cenários das artes até jovens promessas, em um leque de formatos que inclui fotografias, vídeo, instalações, pinturas, esculturas.

Georgina Arozarena, diretora da galeria Talcual, da Cidade do México, diz acreditar que a SP-Arte seja uma ótima oportunidade para mostrar a colecionadores e curadores internacionais o trabalho de artistas mexicanos em ascensão. Este ano, ela aposta em Fritzia Irizar, Francisco Ugarte e Rodolfo Díaz Cervantes.

Especializada em fotografia, a galeria Feroz, de Bonn, na Alemanha, traz obras do alemão August Sander, autor de um projeto épico de documentação da população de sua região natal no início do século 20, e de William Christenberry, que há décadas cataloga a evolução e a decadência da arquitetura local do sul dos Estados Unidos. Além deles, a galeria mostra o trabalho do jovem fotógrafo argentino Alfredo Srur.

Pintura Sem título II - da série O deserto dos tártaros fotografia impressa de Ismael Monticelli - Foto: reprodução/Bazaar Art
Pintura Sem título II – da série O deserto dos tártaros fotografia impressa de Ismael Monticelli – Foto: reprodução/Bazaar Art

“Políticas do espaço” é o projeto curatorial escolhido pela galeria PSM, de Berlim, que participa da SP-Arte pela segunda vez. O duo formado pela galesa Manon Awst e o alemão Benjamin Walther criou uma instalação com espelhos que coloca o espectador ao mesmo tempo dos dois lados de uma cerca. Já o americano Nathan Peter corta e rasga pinturas, transformando os restos de telas em bandeiras enfeitadas com motivos orientais e estrelas. Por sua vez, o sul-africano Ariel Reichman usa grades de janelas encontradas na rua como estêncis para produzir pinturas com spray, em um colorido comentário sobre a tristeza das medidas de segurança privada.

Entre os participantes brasileiros, a galerista Myrine Vlavianos, de Florianópolis, preparou um projeto especial. Ela traz esculturas do artista grego Nicolas Vlavianos e pinturas da argentina Teresa Nazar, seus pais, que em 2015 completariam 50 anos de casamento.

Já a Galeria Superfície, de São Paulo, vai mostrar obras da suíça radicada no Brasil Mira Schendel, do argentino Marcelo Brodsky e do carioca Gustavo Speridião.

SP-Arte 2015
Pavilhão da Bienal, Parque do Ibirapuera
De quinta-feira a sábado, das 13h às 21h; domingo, das 11h às 19h