Arte Felipe Rodrigues / Foto: Gui Paganini, com direção criativa de Camila Bossolan, edição de moda de Rodrigo Yaegashi, beleza de Helder Rodrigues

A internacionalização da carreira é um passo certo para Luísa Sonza, que vê o funk ganhando espaço lá fora como o novo reggaetown. De embaixadora, nós já temos Cardi B, não tem como negar – vide a exposição do remix de Pedro Sampaio no Grammy. E a própria Anitta, com quem já dividiu vocais no primeiro single da nova era. No podcast “Garotas da Capa”, a cantora versa sobre amor, carreira e – claro – o novo disco, que ainda não tem nome nem data de estreia. Mas ele está bem perto, pode apostar.

SIGA BAZAAR NO INSTAGRAM

“Esse álbum é sobre contar uma história”, revela. As faixas foram todas gravadas na casa da cantora (respeitando os protocolos, faz questão de contar), mas na véspera do nosso papo, que estampa a capa da Bazaar de abril, ela tinha pedido para incluir mais uma música. Tudo o que Luísa viveu no último ano (como a separação de Whindersson Nunes) ou as pessoas acharam que ela viveu será contado em forma de música. Único jeito que achou para expressar tudo o que queria. As pessoas vão ter a oportunidade de conhecê-la sem filtros, ela garante.

Colaboraram nas composições o novo namorado, o também cantor Vitão, Day e Rafinha RSQ, sob direção musical de Douglas Moda. Única faixa conhecida até agora é Modo Turbo, parceria com Anitta e Pabllo Vittar.

“Quero que o Brasil me conheça mais profundamente”, diz ela ao revelar que quer seguir constituindo uma base no País e, em paralelo, vai se mostrando ao mundo. O primeiro passo foi dado. Gravou recentemente em espanhol e português o single “Friend de Semana” com Dana Paola, cantora mexicana bastante conhecida como a Lucrécia, de “Elite”, da Netflix, e a espanhola Aitana. Luísa foi convidada para participar do Big Brother Brasil (BBB), que segue no ar na TV Globo. Mas por motivos estratégicos, achou melhor negar a superexposição em rede nacional. “Impossível ser vila, primeiro porque sou muito cagona”, defende-se. “Não é meu perfil, sou muito canceriana.”

Luísa conta da dificuldade em lidar com o jatinho mas redes sociais, por isso a criação dessa persona “Braba”, como fala um de seus hits. “As pessoas criam uma fábula da vida dos artistas”, finaliza. Na entrevista, Luísa ainda comenta sobre a dieta inusitada de “arroz, feijão e frango” todos os dias. E sua nova paixão por comida japonesa.

**Vale lembrar que este papo aconteceu de forma virtual e, por isso, há algumas falhas e interferências no áudio.


EU SOU RYCA

Como no Garotas da Capa, a gente sempre pergunta sobre itens de moda, ela conta a história do primeiro sapato da Gucci, que foi comido por Regina (cachorra de seu ex-marido. Hoje, ela é “mãe” Britney e Gisele, da raça pinscher). E não tinha como ignorar a inseparável sandália Rene Caovilla, que faz parte do guarda-roupa de Luísa, e os fãs até pedem para tirar foto. “Não sou apegada, mas custou R$ 12 mil. Vou usar até ela cair, não só uma vez. Precisam parar de romantizar o gasto”, gargalha. “Amo moda, a gente pode se expressar por meio dela. Mas, amor, eu sou rica, não sou burra.”