Filmes sobre Pierre Cardin e Margiela estão em festival de documentários; veja programação
Imagem do documentário “Martin Margiela: In His Own Words” – Foto: Divulgação

O Festival Internacional de Documentários de Moda (Feed Dog Brasil) acontece de forma online este ano, com programação a partir desta terça (15.12) e segue até domingo (20.12). Por ser online, esta edição estará disponível para todo o território nacional com seleção de 15 títulos brasileiros e internacionais – boa parte inédita, seja na TV, cinema e plataformas de streaming.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

A cerimônia de abertura acontece na própria terça, a partir das 20 horas, ao vivo e online, seguida da pré-estreia nacional do documentário “House of Cardin”, de P. David Ebersole e Todd Hughes. Inédito no Brasil, o filme mostra um dos maiores ícones da moda mundial, o estilista Pierre Cardin, ainda em atividade e que completou 98 anos neste ano. Além dele, haverá estreia de “Martin Margiela: In His Own Words”, de Reiner Holzemer.

O festival ainda apresenta documentários sobre grandes nomes do mundo da moda como a top model italiana Benedetta Barzini, musa de Andy Warhol, Salvador Dalí e Richard Avedon, o icônico fotógrafo Robert Mapplethorpe, o gênio da moda Alexander McQueen, entre outros.

Filmes sobre Pierre Cardin e Margiela estão em festival de documentários; veja programação
Imagem de “McQueen” – Foto: Divulgação

Também haverá oficinas, talks e debates gratuitos com grandes nomes da moda brasileira. A ideia do festival, segundo a curadora Flavia Guerra, é selecionar filmes que tenham valor cinematográfico e que chamem a atenção não só de quem é do universo da moda, mas também quem ama cinema e documentários. Confira a entrevista:

Qual a responsabilidade e os desafios de se fazer um festival online?
Pensar uma curadoria que seja abrangente, que reflita o máximo possível o universo genial e complexo da moda, mas que também, além de celebrá-la, traga discussões sobre como pensamos a moda hoje. Este ano, primeiro que o Feed Dog, por ser digital, é nacional (antes tivemos edições em São Paulo, Brasília e Belo Horizonte), pensar em uma programação que trouxesse filmes inéditos mas também filmes de outras edições que merecem ser descobertos pelo público de todo o Brasil. É um desafio mas também uma oportunidade incrível de pensar o festival nacionalmente e online.

Como ela enxerga o futuro? Mescla de salas presenciais e exibições online?
A adaptação que tivemos de fazer trouxe o lado bom de poder levar programações (pelo menos quando se pensa em festivais de cinema) que até então ficavam restritas às cidades que abrigavam estes eventos, como a Mostra de SP e o Festival de Gramado, que encontraram uma forma de ocorrer e também de ampliar seu público.

Como diz o diretor do Marché de Cannes, Jérôme Paillard, a pandemia também nos fez entender que somos feitos para nos encontrar, para trocar, para partilhar a experiência do cinema. Então, sim, o futuro do cinema e dos festivais (e, claro, também do Feed Dog) é um modelo híbrido que tenha uma programação bem cuidada para o online e também bem pensada, estrategicamente, para o presencial, com debates, encontros, oficinas, debates.

Qual a linha que quiseram contar este ano?
Queremos pensar a moda em 360, ou seja: celebrar a beleza e a genialidade da moda, mas também discutir as questões que não podem ser ignoradas quando pensamos que a moda passa por uma fase de transformação. Não só por conta dos desafios impostos pela pandemia, pela crise econômica que também veio a reboque, mas também pelas transformações que o cenário vem encarando (do fast-fashion às questões trabalhistas e do meio ambiente). Moda é isso: é cultura, é comportamento. E tudo isso, no cinema, dialoga diretamente com nossos debates, com o papel da moda hoje, com a moda autoral, responsável, contestadora, nos meios e no pensar. Esta foi a linha que tentamos costurar para criar a teia que faz o Feed Dog Brasil 2020.


PROGRAMAÇÃO

Filmes sobre Pierre Cardin e Margiela estão em festival de documentários; veja programação
Imagem de “House of Cardin” – Foto: Divulgação

Entre os filmes internacionais, estão: “O Império de Pierre Cardin”, de P. David Ebersole e Todd Hughes (EUA, 2019, 97 min); “Martin Margiela: In His Own Words”, de Reiner Holzemer (Bélgica/Alemanha, 2019, 90 min.); “The Disappearance of my mother”, de Beniamino Barrese (Itália, 2019, 96 min); “Halston”, de Frédéric Tcheng (EUA, 2019, 120 min); “McQueen”, de Ian Bônhote e Ettedgui (UK, 2018, 111 min); “Machines”, de Rahul Jain (Índia/Alemanha/Finlândia, 2017, 71 min.); “Mapplethorpe: Look at The Pictures”, de Fenton Bailey e Randy Barbato (Alemanha/EUA, 2016, 108 min.); “Bangaologia – The Science of Style”, de Coréon Dú (Angola, 2016, 85 min.).

Os filmes nacionais em exibição: “Favela É Moda”, de Emílio Domingos (2019, 75 min); “Fios de Alta Tensão”, de Sérgio Gagliardi-Gag (2018, 78 min.); “Deixa na Régua”, de Emílio Domingos (2016, 85 min.) e “Estou Me Guardando Para Quando o Carnaval Chegar”, de Marcelo Gomes (2019, 85 min.). Além dos curtas: “Alfaiates de Belo Horizonte”, de Sílvia Godinho e Ana Luísa Santos (2013); “Mini Miss”, de Rachel Daisy Ellis (2018) e “Planeta Fábrica”, de Júlia Zakia (2018).


DEBATES

Filmes sobre Pierre Cardin e Margiela estão em festival de documentários; veja programação
Cena de “Favela É Moda” – Foto: Divulgação

Além da programação de filmes, o festival oferece também, de forma gratuita e online, oficinas, talks e debates com grandes nomes da moda brasileira. Todas as atividades paralelas serão transmitidas ao vivo, com acesso gratuito. Veja a programação:

Quarta (16.12)
19h30 – Master Talk “A moda além da roupa” com Ronaldo Fraga e Flavia Guerra (jornalista e curadora do festival).

Quinta (17.12)
17h – Talk “Moda & Políticas Públicas Culturais”, com Valéria Said (jornalista e pesquisadora em Moda e Política).

19h30 – “Moda para todos”, com Flávia Durante (comunicadora e ativista, é criadora da feira Pop Plus) e mediação de Flavia Guerra.

Quinta e sexta (dias 17 e 18.12)
16h às 19h – oficina “Business Plan no Negócios de Moda”- Aldo Clécius (professor e consultor em negócios e cultura de moda, fundador do Moda Contemporânea Mineira).

Sexta (18.12)
17h – “A moda do futuro e o futuro da moda”, com Juliana Lopes e Lena Santana.

19h30 – Diretor artístico do festival, Marcelo Aliche, e Flavia Guerra conversam com o diretor do documentário “Favela É Moda”, Emílio Domingos, com uma das protagonistas, a modelo Camila Reis, e a empreendedora social Clariza Rosa.

Sábado (19.12)
16h – Oficina “O Turbante e seus significados”, com Thaís Muniz (Ativista política e criadora do projeto Turbante-se, é pioneira na investigação sobre o uso de turbantes em culturas afro-atlântica e seu significado em diferentes contextos culturais).