“Circle of Synchro”, de Brad Walls – Foto: Divulgação/Brad Walls

Por Lígia Krás

Em um mercado artístico muitas vezes conduzido por superficialidade e deslumbramento, merece respeito quem consegue extrair belos projetos de algo tão doloroso e atordoante quanto a pandemia nesses quase dois anos. O fotógrafo australiano Brad Walls é uma dessas pessoas.

Brad Walls – Foto: Divulgação/Brad Walls

Premiado no mundo todo com suas fotos aéreas conceituais e aclamado em mídias como The Washington Post, CNN e The Guardian, ele se destacou no Fine Art Photography Awards e nos prestigiados prêmios PX3 e Moscow Fine Art Awards de 2021, com um projeto específico: “Detached, in Harmony”, que mostra mulheres com trajes coloridos se movendo no deserto.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Enquanto a simetria da coreografia encenada por elas e a distância faz com que elas fiquem semelhantes a bonecas ou manequins, as sombras projetadas pelo sol na areia dão um ar de vida, ainda que remota, naquelas modelos. É uma ode ao que passamos nesses últimos anos, isolados socialmente, ou separados por alguma espécie de parede. No caso do trabalho dele, tudo parece ter fluidez.

“Division”, foto de Brad Walls – Foto: Divulgação/Brad Walls

“A fotografia aérea depende de algum tipo de formas ou padrões intrigantes no solo, caso contrário, as imagens ficarão ‘planas’. Já trabalhei com uma bailarina, nadadores profissionais sincronizados e mergulhadores. Portanto, todas essas atividades têm belas formas vistas de cima”, explicou Walls à Bazaar.

“Tether”, foto de Brad Walls – Foto: Divulgação/Brad Walls

Enquanto trabalha em um novo projeto surrealista de inspiração retrô com ênfase na simetria, o australiano continua uma paixão antiga: suas imagens quase náuticas. “Todas as minhas fotos são tiradas principalmente em piscinas. Tenho um grande interesse por arquitetura e design, por isso as piscinas se destacam para mim. Além disso, eu nunca tinha visto uma série fotográfica focada exclusivamente na beleza das piscinas vista de cima. Lanço um livro no próximo ano para esta série.”

“Water Ballet”, foto de Brad Walls – Foto: Divulgação/Brad Walls

Inspirações

Decidido a promover novas maneiras de usar a fotografia aérea, Walls conta que, embora a fotografia aérea ainda seja um fenômeno novo para ele, o valor da “perspectiva diferente” não lhe agradava mais. “Eu sabia que queria ‘pintar’ com um drone. E, nesta fase da minha carreira, quero ser agnóstico em termos de gênero. Eu não quero me encaixar em um gênero. Depois de aprender os fundamentos do design de produto em um trabalho com tecnologia, esses princípios de design se infiltraram em minha prática fotográfica. Princípios de design como espaço negativo, simetria e linhas principais são todos bastante familiares ao meu trabalho”, diz o artista.

“Static”, foto de Brad Walls – Foto: Divulgação/Brad Walls

Sempre interessado por padrões, Walls finaliza nossa conversa explicando como eles se encaixam em suas obras: “Acho que a compreensão de padrões é um processo complexo e infinitamente instigante. Quando se trata de aplicá-lo por meio da arte, é aí – para mim, pelo menos – que se torna mais simples. Em particular, os padrões matemáticos que olham para as proporções (Fibonacci, por exemplo) realmente me intrigaram. E a aplicação desses padrões aos assuntos proporcionou uma sensação de harmonia e permitiu que a matemática rudimentar fosse aplicada artisticamente. É arte versus ciência”.