Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Por Paula Jacob

Filmes de terror normalmente seguem duas rotas, ou ele é realmente aterrorizante ou você dá risada da falta de tato para montar um roteiro que, teoricamente, deveria dar medo. No caso de Goodnight Mommy (Ich seh, Ich seh), filme austríaco independente, dirigido por Veronika Franz e Severin Fiala, o trailer já assusta, que dirá o filme.

A trama se passa em uma casa isolada, daquelas que costumamos ver e desejar no Pinterest, com portas de vidro e uma paisagem de tirar o fôlego. Os gêmeos Elias (Elias Schwarz) e Lukas (Lukas Schwarz) aguardam ansiosamente a mãe, interpretada por Susanne Wuest, do retorno de uma cirurgia facial agressiva. Quando a mesma chega em casa, com o rosto totalmente enfaixado, lembrando um pouco A Pele Que Habito (2011), os pequenos reparam a mudança de comportamento da mãe, desconfiando que a mulher é uma completa estranha.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O terror fica por conta da montagem do roteiro, com passagens longas, cenas rotineiras de uma casa, as brincadeiras das crianças, mescladas com o suspense repentino, cortes secos e, claro, a mulher misteriosa com um sorriso visceral, formado pelas faixas que cobrem seu rosto. Um Joker de arrepiar a alma.

Como todo filme europeu, nada é por acaso. Muito menos o tema do filme. Apesar do medo imposto, questionamentos sobre a vida familiar, laços de amor e amizade, e o que o ser humano coloca como prioridade na vida pessoal são alguns dos pontos levantados meio as tensões nas cenas.

Lançado no começo deste ano, Goodnight Mommy rodou os principais festivais de cinema internacional e terá sua estreia nas telas americanas no início de setembro. Enquanto não chega ao Brasil, confira o trailer oficial:

Leia mais:

Michael Keaton estrela “Spotlight”, novo filme de Thomas McCarthy

Julianne Moore e Ellen Page vivem casal em “Freeheld”