Busca Home Bazaar Brasil

Helena Deland: revelação do “pop sincero” é fã de João Gilberto e CSS

A canadense tem planos para vir ao Brasil e está gravando um novo álbum

by Felipe Stoffa
Helena Deland - Foto: Divulgação

Helena Deland – Foto: Divulgação

É nas caminhadas lentas, sem destino, passeios de bicicleta ou até mesmo deitada em sua cama que Helena Deland encontra inspiração para escrever canções. Ou pode vir também do próprio ar de Montreal, no Canadá, cidade rica em material cultural, onde nasceu. “Muitas coisas aqui são inspiradoras! As próprias estações do ano, a cena musical, arte etc.”, diz a cantora à Bazaar.

De cabelos loiros jogados pelo corpo e voz melodiosa, Helena produz música “pop sincera”. “Digo isso pelas influências pop na minha produção e que têm impacto nas progressões de acordes e estruturas. Quero dizer pop como algo muito positivo. O ‘sincero’ é para afastar qualquer ideia de ready made, ou algo pronto, baseado em fórmulas”, afirma a cantora.

No entanto, muitas de suas músicas também podem ser consideradas um caldeirão indie. Ou até mesmo a promessa de uma nova geração da música folk, como já foi citada pela mídia em algumas ocasiões.

Fato é que no recém-lançado EP de dois volumes, “Altogether Unaccompanied”, Helena costura faixas quase como mantras, em arranjos bastante melancólicos.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Helena Deland - Foto: Divulgação

Helena Deland – Foto: Divulgação

Como artista e indivíduo, é muito reservada. Gosta de enfatizar essa palavra. Mas a inspiração vem dos amores e relacionamentos. Pode-se acrescentar também questões ligadas à intimidade, sentimentos como angústia, além de uma reflexividade em torno da própria idade.

Apesar de sempre ter colocado a música como prioridade na vida, a canadense se lançou na carreira em 2016, com o EP “Drawing Room”. Nele, já se podia sentir muito bem o estilo da cantora. Dali para a frente, surgiram convites para shows e performances em festivais. Neste ano, cantou na última edição do festival SXSW, em Austin, e de lá seguiu para uma turnê pela América do Norte e Londres.

O segundo semestre promete ser ainda mais agitado. Suas referências musicais se modificam tão rápido quanto o clima. Do folk, escuta Neil Young, Nick Drake, Joni Mitchell, Angel Olsen e Jessica Pratt. “Ultimamente, tenho escutado de forma compulsiva Jenny Hval”, diz.

Helena Deland - Foto: Divulgação

Helena Deland – Foto: Divulgação

Apaixonada por literatura, faz um tempo que Proust não sai da cabeceira. “São livros bem longos”, brinca.

No momento, além das apresentações, Helena trabalha na produção de um novo álbum. “Um álbum completo!”, enfatiza. “É uma experiência excitante. Já estou com toda a ideia e o conceito, pretendo escrever um total de 15 músicas, para poder chegar às 10 finais”, completa ela, com algumas demos em mãos. “Tudo devagar, mas seguro”, afirma.

Ainda no plano das ideias, o Brasil é uma delas, atesta a cantora, fã da música daqui. “Isso é provavelmente um grande clichê, mas João Gilberto foi minha entrada na bossa nova. Além disso, escutava Cansei de Ser Sexy na adolescência.”

Por enquanto, sente-se realizada com o sucesso de seus dois EPs e os shows que mantêm sua banda unida. Mas se especializar não sai dos objetivos. “Acho mais fácil escrever músicas sobre relacionamentos românticos e amizades, especialmente em suas fases mais desafiadoras. Recentemente, estive pensando mais sobre o que acontece no relacionamento que desenvolvemos e a forma como nos sentimos próximos dos outros. Diferentes formas e profundidades de se relacionar com as pessoas por meio da arte”, diz.

“Pessoalmente, quero estar presente para quem eu amo, e aprender também a amar o maldito eu.” Boa resolução. Agora é hora de colocar play e desconectar.

Leia mais:
Oito apresentações de Aretha Franklin que ficaram para a história
Madonna: os 10 looks mais icônicos da cantora em shows
Vida de Lady Di vira musical em 2019