Cena do filme”House of Gucci” – Foto: Reprodução/ IMDb

Por Jorge Wakabara

“Pai, filho e Casa Gucci”, diz Lady Gaga no trailer de “House of Gucci”, caracterizada como Patrizia Reggiani, a mulher que mandou matar o ex-marido Maurizio Gucci, em 1991. A première do filme de Ridley Scott acontece agora, no começo de setembro, como parte da programação do Festival de Veneza. Até o momento, só temos o livro no qual ele foi baseado, “Casa Gucci: Uma História de Glamour, Cobiça, Loucura e Morte”, de Sara Gay Forden, como referência. Aliás, a obra tem versão brasileira lançada pela Editora Seoman – vale a leitura!

Cena do filme”House of Gucci” – Foto: Reprodução/ IMDb

Mas e aí, o que será que o longa vai trazer? Pode ser que ele tenha deixado algo de fora em favor de um roteiro mais claro, mesmo porque a história é bem rocambolesca. Por exemplo: quando Gaga, encarnando Patrizia, diz “pai, filho”, ela deixa de fora alguém bem especial… O avô. No caso, Guccio Gucci, que realmente não se encontra na lista divulgada de personagens. O patriarca florentino, que trabalhou de porteiro no chiquérrimo hotel Savoy (por isso que o estilista Alessandro Michele incluiu a estampa Savoy Club na coleção da Gucci de Fall 2021), casou-se com Aida Calvelli e teve cinco filhos com ela. Desses, quatro sobreviveram: Grimalda, Aldo, Vasco e Rodolfo. E Aida ainda tinha um filho com outro homem quando se casou, Ugo, que foi adotado por Guccio.

Cena do filme ”House of Gucci” – Foto: Reprodução/ IMDb

Aí vem o primeiro indício de que a gente verá uma versão “resumida”: Grimalda, Vasco e Ugo também estão de fora da lista. A gente supõe que a guerra familiar pelo controle da Gucci vai ser representada por dois times: Aldo (Al Pacino) e um de seus filhos Paolo (Jared Leto) de um lado, Rodolfo (Jeremy Irons) e seu filho Maurizio (Adam Driver) do outro. Sendo assim, já fica de fora uma primeira confusão: Ugo, segundo o livro “Casa Gucci”, roubou o caixa do patrão Baron Levi lá no começo para emprestar para o pai e gastar com a amante. Foi Guccio quem teve que resolver a situação. Outra situação que não deve ser levantada é a de Grimalda, que foi deixada de fora da divisão da grife entre os irmãos quando Guccio morreu.

Cena do filme”House of Gucci” – Foto: Reprodução/ IMDb

E a história da clássica estampa Flora, vai aparecer? Não sabemos. Diz a lenda que, em 1966, Rodolfo recebeu uma princesa em uma loja Gucci. E era uma princesa, digamos, hollywoodiana: nada menos que Grace Kelly. Ele, que foi ator de cinema antes de assumir parte da marca (seu nome artístico era Maurizio D’Ancora), insistiu em dar um presente para ela. A princesa de Mônaco disse que aceitaria um lenço. Rodolfo perguntou de que tipo, e ela respondeu que gostaria de um floral. Ele sabia que não havia uma estampa do tipo ali, mas pensou rápido: comentou que a Gucci estava desenvolvendo algo floral naquele momento. E depois correu para Vittorio Accornero, o ilustrador que desenvolvia estampas para a Gucci na época, para que ele fizesse a Flora rapidamente!

Cena do filme”House of Gucci” – Foto: Reprodução/ IMDb

Não existe atriz, pelo menos por enquanto, com o papel de Grace Kelly na lista do elenco. Mas há a romena Mădălina Diana Ghenea, prevista para interpretar ninguém menos que Sophia Loren. Será que vão mudar a história e substituir Grace por Sophia? A verdade é que esse capítulo glamoroso da Gucci como a marca preferida de celebridades lá pelas décadas de 1960 e 1970, pode ficar a dever. Jackie O, que até batiza uma das bolsas mais célebres da marca? Elizabeth Taylor, outra fã? Nem sinal.

Cena do filme”House of Gucci” – Foto: Reprodução/ IMDb

Tom Ford e Domenico de Sole são figuras garantidas (na pele de Reeve Carney e Jack Huston, respectivamente). Ford e De Sole têm grande importância na trama porque já eram peças chave na história da Gucci quando aconteceu o “golpe” em Aldo, após a morte de Rodolfo e a união da terceira geração (Maurizio e Paolo), com a consequente venda da Gucci para a Investcorp. O estilista já trabalhava no estilo da label e o advogado participava das reuniões de negociação entre as partes da família, primeiro representando Rodolfo e depois, surpresa, Aldo. Na época do assassinato de Maurizio, Ford já havia assumido a direção criativa da Gucci. De Sole virou CEO do Gucci Group (que originou o grupo Kering) alguns anos depois.

Cena do filme”House of Gucci” – Foto: Reprodução/ IMDb

A parte de Paolo na história? Bem… Bazaar deixa para o filme mesmo. Apenas avisamos: se você acha que a caracterização de Leto no papel é surpreendente, espere até saber tudo o que essa ovelha negra de la grande famiglia aprontou.