O trio de Gosglow - Foto: reprodução
O trio de Gosglow – Foto: reprodução

Como em toda religião, o discurso do padre, pastor, guia espiritual etc. Tem de condizer com a imagem que apresenta. Não poderia ser diferente com o Chvrches (fala-se churches mesmo, como “igrejas”, em inglês), trio de Glasgow, Escócia. A vocalista, Lauren Mayberry – que largou o posto de jornalista premiada para ser sacerdotiza de uma legião de adoradores do synth pop, ao lado dos amigos Martin Doherty e Iain Cook –, é dona de um discurso na linha sermão, digno de textão reclamando no Facebook. Mas ela tem razão nas causas que levanta:misoginia na música, luta pelo empoderamento feminino.E não admite ser engolida por comentários maldosos de haters na internet, lugar onde a banda ganhou dimensões estratosféricas. “Eles enviam mensagens não por brincadeira. Mas para te intimidar. Tudo bem não gostar do disco. Mas há uma diferença entre criticar o trabalho e falar do tamanho do seu seio”, disse, recentemente, à BBC na ocasião do lançamento do terceiro álbum da banda, o belo Every Open Eye.