Foto: Reprodução/IMDB
Foto: Reprodução/IMDB

Até hoje Judy Garland nos toca como uma grande artista da música e dos cinemas. Nascida em 1922 em Minnesota, ela morreu muito jovem, aos 47 anos, em 1969. Uma das principais estrelas cantoras da “Era de Ouro” de Hollywood dos filmes musicais, ela ganhou fama internacional como Doroty de “O Mágico de Oz”, mas sua carreira não parou por aí.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Ela também ganhou um Globo de Ouro por “Nasce uma Estrela”, de 1954, e foi a primeira mulher a receber o Prémio Cecil B. DeMille em 1962 pelo conjunto da obra na indústria cinematográfica, bem como um prêmio Grammy Lifetime Achievement Award, em 1997, e um Tony Award Especial, em 1952.

Seu fim, porém, foi trágico. Ela era muito insegura com sua aparência, sofria de instabilidade financeira e se divorciou quatro vezes. Ela morreu de overdose acidental, deixando as duas filhas Liza Minnelli, Lorna Luft e o filho Joey Luft.

Sua última turnê foi em Londres, no inverno de 1968, e é essa a história que conta o filme “Judy”, estrelado por Renée Zellweger no papel principal, que concorre a duas estatuetas do Oscar em 2020.

Para desenhar o figurino impecável da produção, o diretor Rupert Goold escalou a figurinista Jany Temime, premiada pelos guarda-roupas que criou para filmes como a série Harry Poter e “Skyfall”, filme da franquia de James Bond lançado em 2012.

Jany mergulhou de cabeça no estilo ousado de Judy, e não poupa estampas e brilhos das produções. Veja abaixo alguns destaques:

Foto: Reprodução/IMDB
Foto: Reprodução/IMDB

Uma verdadeira apaixonada por estampas, Judy adorava o print paisley, de origem persa. Boa parte do filme, ela veste este blazer que hoje está muito atual, com uma camisa de seda elegante por baixo, fechada na gola com um nó. Judy adorava joias, e raramente saia de casa sem anéis e brincos.

Foto: Reprodução/IMDB
Foto: Reprodução/IMDB

Antes da era do cruelty free na moda, o casaco de pele era um item must-have no closet de qualquer fashionista. Judy tinha uma vasta coleção para enfrentar os invernos no hemisfério norte, e também adorava suas luvas de couro.

Foto: Reprodução/IMDB
Foto: Reprodução/IMDB

Mas uma prova de que Judy não tinha receio algum de investir nas estampas. O casaco pink é combinado com blusa de babados na gola e chapéu – tudo combinando no mesmo tom. Repare que sua bolsa preferida é da Chanel – ela era admiradora de Coco.

Foto: Reprodução/IMDB
Foto: Reprodução/IMDB

Para subir ao palco, a multiartista alternava o figurino. Em alguns momentos, ela preferia o minimalismo de um little black dress.

Foto: Reprodução/IMDB
Foto: Reprodução/IMDB

Para o dia a dia, a cantora adorava escolher camisas estampadas e de seda. No clique acima, ela aposta no floral e folhagens.

Foto: Reprodução/IMDB
Foto: Reprodução/IMDB

Em outros momentos de seus shows, a ordem era brilhar com metalizados, como o look dourado que abre este post, ou o floral da imagem acima. Chique!

Leia mais:
“The Crown”: figurino impecável exala a elegância da família real
“Bombshell”: o jeito de se vestir das mulheres da Fox News
Desvendamos o figurino misterioso de “Entre Facas e Segredos”
“Adoráveis Mulheres” mostra o melhor da moda em 1868