Jussara Romão - Fotos: Arthur Vahia/SiteRG
Jussara Romão – Fotos: Arthur Vahia/SiteRG

Por Eduardo do Valle e Alice Coy

Um álbum de fotos, literalmente. Em Arquivo Urbano, Jussara Romão resgata a mudança no vestuário brasileiro em cem anos de história brasileira, entre 1900 e 2000, através da reunião de registros pessoais e fotos de família. O desafio é ousado, admite Jussara: “O livro tem 232 páginas, mas a curadoria foi feita entre mais de mil fotos”, revela a autora, em entrevista a Bazaar.

Para dar conta da demanda, a autora lançou mão de uma parceria com Goya Cruz, responsável pela curadoria fotográfica da obra. “A escolha de Goya foi essencial para a conclusão do livro, pois eu corria um risco grande de acabar tendo um envolvimento afetivo com as fotos, ia ser difícil fazer a seleção”, confessa Jussara.

De fato, passando os olhos pelo livro, já é possível perceber os vários momentos da história brasileira que a autora resgata na obra: lá estão as grandes famílias patriarcais do início do século XX, a influência externa no vestuário brasileiro, a emancipação feminina, que começa a se soltar das amarras de uma sociedade conservadora. Ainda assim, Jussara consegue definir a “explosão” como a principal característica do vestuário feminino brasileiro. “A moda sempre fez parte da vida da mulher brasileira, tanto lá atrás quando hoje em dia, e o que nos une é a explosão de influências, o jeito próprio de adaptar cada uma delas”.

Apesar de linear em alguns sentidos, entretanto, a autora acaba revelando seu momento favorito na história da moda brasileira. “Acho que entre o final dos anos 60 e o início dos anos 70, a moda vira pessoal. Temos uma Zuzu Angel, por exemplo, que insere a estampa em nosso vestuário, que é um elemento muito próprio”, revela.

E, uma vez que a análise da autora se encerra no ano 2000, queremos saber o que ela pensa da moda nos 14 anos que se seguiram à virada do milênio. A autora responde entusiasmada: “Acredito que seja a liberdade facilitada pelas mídias, que permite com que as mulheres se expressem ainda mais, ousem ainda mais e sejam, cada vez mais, elas mesmas”. Recado dado, Jussara!

Arquivo Urbano é da editora Luste Editores, tem 232 páginas e custa R$ 85.