A transgênero Laverne Cox, que falou à Bazaar - Foto: reprodução
A transgênero Laverne Cox, que falou à Bazaar – Foto: reprodução

O seriado Orange Is the New Black continua sua jornada de levar gente de todo tipo para a televisão em sua terceira temporada, no ar no Netflix, a partir do dia 12. A série criada por Jenji Kohan e baseada nas memórias de Piper Kerman, que passou algum tempo na prisão por lavagem de dinheiro, tem um elenco inteiramente feminino, formado por mulheres de todas as formas, raças, religiões e, principalmente, orientações sexuais.

Mas seu poder de influência extrapola os limites do meio. O maior exemplo é Laverne Cox, atriz de 30 anos que foi a primeira transgênero na capa da revista Time e apareceu nua na Allure. Engajada na luta contra o preconceito, roda os EUA dando palestras nas universidades como tema “Ain’tIaWoman?” (“Não sou eu uma mulher?”). “Tenho orgulho do nosso público, são fãs generosos. Quando você imaginaria que uma trans negra conseguiria atrair 700 alunos em Wichita? Adoraria que fosse por minha causa, mas é pelo seriado”, disse à Bazaar, em Los Angeles.“Há gerações de mulheres que acompanham o seriado, pessoas de todas as raças, orientações sexuais. De vez em quando, aparece um homem branco heterossexual nas minhas palestras. Fã do seriado!”

New b(l)ack: Taylor Schilling e Laura Prepon em cena da nova temporada - Foto: reprodução
New b(l)ack: Taylor Schilling e Laura Prepon em cena da nova temporada – Foto: reprodução

Cox, que interpreta Sophia, um homem casado e pai de um filho que vai preso depois de roubar cartões de crédito para conseguir pagar pelos procedimentos necessários para fazer a transição para mulher, estava tendo problemas para pagar o aluguel antes de conseguir o papel em Orange Is the New Black. “Imagine, desde então fui indicada ao Emmy como atriz e encontrei o presidente dos EUA duas vezes!”, disse, falando de sua vida pós-seriado. Sem dúvida, seu sucesso ajudou a abrir portas para outros artistas e personagens transgênero. Em Transparent, produzida pela Amazon e vencedora dos Globos de Ouro de melhor série cômica ou musical e de melhor ator em série cômica ou musical, Jeffrey Tambor interpreta um pai de família que faz a transição. Em Sense8, que também estreia na Netflix neste mês (dia 5), Nomi é uma blogueira transgênero de São Francisco, interpretada pela atriz Jamie Clayton,que começou sua própria transição aos 19 anos.A série foi criada pelos irmãos Wachowskis, diretores de Matrix e Cloud Atlas – um deles, Lana, também é uma transgênero.

Na terceira temporada, Sophia vai ter novos desafios, claro, já que a série não costuma economizar na ousadia.“Fiquei com medo. Espero que o público fique empolgado, mas temo que a odeiem!”, contou Cox.