Foto: divulgação
Foto: divulgação

Por Carol Vasone

Mais de um século depois de George Vuitton (filho de Louis) apresentar as novidades da maison mais tradicional de artigos de viagem do mundo na Exposição Universal, em 1900 – feira que reuniu as novidades e os avanços tecnológicos da época –, as malas da Louis Vuitton voltam ao Grand Palais, em Paris. Uma grande retrospectiva vai reunir peças raras, como o modelo Steamer Bag, criado em 1901 pelo neto do fundador da LV,Gaston-Louis,para uso pessoal e para ser levado dentro das malas.

Junto aos modelos vintage que poucos conhecem, os mais atuais, com intervenções artísticas de importantes colaboradores da grife, como Damien Hirst e Richard Prince, integram a exposição que faz a conexão entre o passado e o presente da marca, fundada em 1854. Com curadoria do importante historiador de moda Olivier Saillard,Volez,Voguez,Voyagez – Louis Vuitton ocupará nove salas temáticas,com foco na maleteria.

Foto: divulgação
Foto: divulgação

Uma das seções,The Music Room, será dedicada aos itens feitos sob medida para clientes especiais, reservando as surpresas mais excêntricas e exclusivas, como special orders encomendados por grandes estilistas, de Paul Poiret, Givenchy e Christian Dior a Karl Lagerfeld. Em Fashion and Beauty há os pequenos compartimentos desenhados para guardar perfumes e outros produtos de beleza. Exemplos em que a embalagem acaba encantando tanto quanto ou mais que o conteúdo, com caixas que são verdadeiras preciosidades. As malas, baús e bolsas de viagem de celebridades também ganham destaque nesse setor.

A cenografia, do canadense Robert Carsen, aclamado diretor de ópera, garante teatralidade dramática à mostra.

+ Grand Palais, de 4 de dezembro a 21 de fevereiro de 2016