Foto: Reprodução/Youtube

Um dos conceitos mais falados e analisados hoje em dia é o de “lugar de fala” – ou seja, a quem cabe falar sobre um assunto específico e de cunho social, como feminismo, racismo, homofobia, entre outros. Apenas quando damos voz às verdadeiras vítimas ou especialistas de uma questão é que podemos entender o lado mais real da situação, como ouvir uma mulher falar sobre violência doméstica.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Um exemplo do uso deste conceito é o documentário “Mulher”, dirigido por Anastasia MikovaYann Arthus-Bertrand. A produção dá voz a 2 mil mulheres, de diferentes idades, raças e perfis. As entrevistadas estão espalhadas por mais de 50 países diferentes, incluindo o Brasil.

O resultado é um documentário delicado, em que as entrevistadas abordam temas como maternidade, educação, casamento, independência financeira e sexualidade. No momento em que as próprias mulheres falam sobre sua realidade – com intervenção mínima do intermediários, é aí que o conceito de “lugar de fala” está sendo respeitado.

A produção ganha um carácter mais doloroso ao abordar assuntos pesados, incluindo crimes cometidos contra mulheres ao redor do mundo – apenas no trailer é possível conhecer a história de duas mulheres que sofreram agressão de seus maridos -, mas também apresenta como elas superaram estes traumas e adversidades.

“Mulher” tem estreia marcada para o dia 12 de março, mas o trailer já está disponível. Assista: