Foto: divulgação
Foto: divulgação

Nessa quinta-feira (07.07),  Beyoncé aproveitou a sua performance em Glasgow para chamar atenção para a questão da violência policial contra a população negra, e em especial, relembrar a morte de Alton Sterling e Philando Castile, dois jovens negros assassinados pela policia norte-americana nas duas últimas semanas.

Em seu site, a cantora postou uma mensagem clamando por mudanças e ações contra as tragédias que continuam se repetindo no país:

“Nós estamos enjoados e exaustos dos assassinatos de nossos jovens homens e mulheres em nossas comunidades. É nosso dever nos posicionar e demandar que eles parem de nos matar. Não precisamos de simpatia, e sim que todos valorizem as nossas vidas. Nossa comunidade irá se erguer e lutar contra qualquer um que acredite que tais ações violentas, principalmente vindas daqueles que juraram nos proteger, devem seguir sem punição. Temos o poder de canalizar a nossa raiva e frustração e transformá-la em ação. Devemos usar a nossa voz e chamar a atenção de políticos e demandar mudanças jurídicas.”

Foto: divulgação
Foto: divulgação

Esta não é a primeira vez que Beyoncé comenta sobre questões raciais. Recentemente ela apresentou a canção Freedom com o rapper Kendrick Lamar no BET Awards, além de fazer história ao cantar o single Formation no Super Bowl – ambas tinham cunho político. A artista também convidou as mães de Trayvon Martin, Eric Garner e Michael Brown (jovens negros assassinados pela policia americana) para aparecer em seu álbum visual Lemonade segurando fotos de seus filhos.

Leia mais:

“Os grupos online me ajudaram a deixar a ditadura do alisamento”, revela Alexandra Loras à Bazaar

“Vocês têm o poder de mudar percepções, inspirar e empoderar”, diz Beyoncé a estilistas