Os hippies de 2015 não sofrem com contradições, mas buscam soluções para resolver a vida na prática - Foto: reprodução
Os hippies de 2015 não sofrem com contradições, mas buscam soluções para resolver a vida na prática – Foto: reprodução

Por Dudi Machado

Você conheceu seu namorado na aula de yoga, acha que meditação pode te ajudar a ter mais foco no trabalho e alimentação orgânica é pauta e menu dos almoços de domingo com a turma?

Se você se identificou com as questões acima, você faz parte do mais novo movimento socio- cultural, que teve sua semente hippie plantada no fim da década de 60, e que agora frutifica como ícone de contemporaneidade. Mais do que assunto das passarelas, é estilo de vida e objeto de estudo dos lançadores de tendência. Disfarçado de normcore, usando as Birkenstocks peludas da Céline e as bolsas ecologicamente corretas de Stella McCartney ou com os looks que reinaram na última passarela da Gucci, o neo-hippie chega sem os radicalismos de outrora. O comeback do paz-e-amor não é de hoje.

Nos anos 90, por exemplo, redutos como Ibiza e Goa foram recolocados no mapa cool. Os anos 2000 viram a ascensão dos new bohemians ou gypsetters, turma com recurso e bom gosto, que fugiu do mainstream e foi em busca de paraísos isolados, tendo a prática da não-ostentação como mantra. Tulum, Santa Fé, Montauk, Panarea, Formentera e Trancoso emergiram como destinos favoritos desse grupo nômade, que adotou a sandália rasteira e a bolsa de palha como uniforme, sem dispensar, obviamente, nenhum tipo de conforto.

Os hippies de 2015 não sofrem com contradições, mas buscam soluções para resolver a vida na prática. Ser green e sustentável não é mais escolha radical, mas dogma do mundo moderno. Cuidar do corpo e da mente faz bem ao currículo, praticar meditação traz foco no trabalho, yoga, uma silhueta mais bonita e alimentação orgânica e saudável é, obrigatoriamente, o combustível para tudo isso.

O mercado mundial vibra na mesma sintonia. Em Londres, o Redemption, bar não-alcoólico e reduto dessa turma, distribui flyers para yoga e festas à la ressaca zero. A ordem é viver saudável, com produtos adquiridos em mercados orgânicos, como a Maison Plisson, recém-inaugurada em Paris, ou a feira que acontece aos sábados em Alto Paraíso, que, aliás, virou CEP de muita gente. Tendência que ganha corpo com a liberação da marijuana em Venice Beach, na Califórnia, no revival das drogas psicodélicas, em festivais como Burning Man e Boom ou em sessões xamânicas regadas a ayahuasca e peyote.

Validando o fenômeno, Arianna Huffington, sócia-fundadora do The Huffington Post, prega em seu livro, Thrive, que o sucesso no trabalho está diretamente ligado ao controle do foco por meio de táticas de meditação, assim como bem-estar e alimentação. Ou seja: tudo junto e conectado.

*A matéria na íntegra você acompanha na edição de agosto da Bazaar, que já está nas bancas. Acesse também assinebazaar.com.br para receber os próximos exemplares em casa.