Vista aérea do Hospital Matarazzo, que vai receber em setembro a ocupação artística "Made by Brazilians" - Foto: reprodução
Vista aérea do Hospital Matarazzo, que vai receber em setembro a ocupação artística “Made by Brazilians” – Foto: reprodução

Por Matheus Evangelista, do SiteRG

Alexandre Allard, presidente do Groupe Allard, comprou há alguns anos o hospital Matarazzo, instalado na região da Avenida Paulista. Agora, antes de começar as reformas comandadas por Jean Nouvel e Philippe Starck, vai dar uma nova utilidade ao local fechado desde 1993: a ocupação artística Made by Brazilians, onde vai reunir a partir de setembro, 100 artistas brasileiros e internacionais.

Com orçamento de R$ 12.681.710, segundo informação divulgada pelo site do Ministério da Cultura, o projeto conta com curadoria de Marc Pottier e Simon Watson, e tem como principal objetivo explorar a qualidade antropofágica e multicultural do País e da megalópole São Paulo, trazendo para seus habitantes e visitantes uma força de inspiração, inovação e imaginação; bem como incitar o interesse na área cultural, propiciar o conhecimento de novos artistas e estimular o intercâmbio de culturas.

Entre os artistas convidados estão Yoko Ono, Cindy Sherman, Ai WeiWei e Xu Bing. Dos brasileiros podemos esperar criações únicas de Cao Guimarães, Maurício Ianês, Beatriz Milhazes, Vik Muniz, Mauro Restiffe, Cildo Meireles, Ernesto Neto e Oskar Metsavaht. As obras estarão no que se chamará o Centro de Criatividade Cidade Matarazzo. Ali, no futuro, serão criadas galerias de arte, cinema, lojas, restaurantes e teatros.

As criações estarão espalhadas pelos 35.000 m² de área e muitas serão monumentais, como a instalação do chinês Wang Du, que discute o paradoxo da construção e da destruição gerada pela nova era de modernização (evolução artificial), degradação e urbanização geral na China. Ou ainda a ocupação da antiga Capela do Hospital pela portuguesa Joana Vasconcelos, que criará uma nova versão de duas de suas obras – Valquíria e Piano Dentelle. Esta última obra exigirá o transporte de um piano no qual a artista interveio, além de ser acompanhada de uma performance com concerto de Fafá de Belém no dia da abertura da mostra.

A ação terá entrada gratuita e público estimado de 90 mil pessoas durante as cinco semanas em que estará funcionando. Mais detalhes e a data oficial da inauguração Bazaar entrega já já…