Paula Raia inaugura a exposição “Terrosidades”

Mostra tem curadoria de Helio Menezes e Mauricio Ianês e está em cartaz no CCSP

by redação bazaar
Foto: Rafael Pavarotti

Foto: Rafael Pavarotti

Paula Raia abre a exposição “Terrosidades”, com curadoria de Helio Menezes e Mauricio Ianês, nesta quinta-feira (19.09), no Centro Cultural São Paulo. O projeto é fruto de uma reflexão da estilista sobre os padrões de beleza na moda, nos inspirando e provocando a ir além dessas barreiras, para celebrar a beleza feminina plural. Paula convidou 14 mulheres com diferentes belezas e corpos, donas de histórias distintas e fortes, para fazerem parte da exposição que será aberta ao público. O coquetel de abertura terá pocket show de Mariene de Castro.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Conexões entre o feminino e a natureza vêm sendo construídas por mitos, narrativas e imagens desde a formação das primeiras sociedades humanas. Agrárias e telúricas, essas civilizações ancestrais se voltaram à terra como elemento de culto e cultivo, oferecendo ritos e festas de agradecimento e veneração do massapé, do barro que dá origem e alimenta a vida. Da deusa Gaia, venerada entre os gregos antigos, à Pachamama, cultuada ainda hoje entre os povos andinos, e a Nanã, deusa africana da argila e das águas terrosas, figuras da “Mãe Terra” estão costuradas às nossas memórias e a nosso inconsciente coletivo.

Simone de Beauvoir escreveu sobre o assunto no primeiro volume do clássico “O Segundo Sexo”: “A natureza na sua totalidade apresenta-se a ele [o agricultor primevo] como mãe; a terra é mulher, e a mulher é habitada pelas mesmas forças obscuras que habitam a terra”. Com igual força, mulheres vêm desconstruindo a ideia de uma “natureza” essencial feminina como oposição a uma suposta “cultura” masculina, desfazendo a associação rápida, e por vezes limitadora, entre as muitas formas do feminino e a maternidade como destino único. Reivindicando lugares, vozes e representações mais amplas e inclusivas das mulheres em sua pluralidade.

No universo da moda, essas mudanças de ação e pensamento visam alterar os termos do jogo. Em movimentos que trazem corpos, cores, idades e biografias mais plurais, e entendem que a vestimenta, esse modo cotidiano de expressão de si, de nossas identidades pessoais e coletivas, se expressa de maneiras muito variadas.

“Terrosidade” nasce da reflexão sobre o papel da moda num mundo em constante transformação, com conquistas de direitos pelas mulheres de poderem ser o que quiserem ser, trazendo a liberdade e a equidade como guias. Nasce também do desejo de celebrar as belezas femininas – assim, no plural -, abrindo um espaço de escuta de diferentes experiências e trajetórias de vidas de mulheres inspiradoras.

Para esta exposição fotográfica, a estilista Paula Raia mergulhou no universo de referências de cerâmicas marajoaras, texturas, fibras e tecidos naturais brasileiros, das mitologias que trançam relações entre o feminino e a terra, dessa terra em que se respeitando, tudo dá. As criações foram pensadas para cada uma das 14 mulheres convidadas a integrar a exposição, que reúne fotografias realizadas por Rafael Pavarotti. Imagens em que se destacam as tramas da terra que costuram e dão forma às composições, a força e protagonismo de mulheres que sonham e realizam outros mundos possíveis.

São elas, a quem redobramos os agradecimentos: Alice Ruiz, Camila Pitanga, Caroline Figueiredo, Djamila Ribeiro, Emery Khoury, Erika Hilton, Glória Maria, Lea T, Loo Nascimento, Lu Big Queen, Mariene de Castro, Morena Cardoso, Preta Rara e Salinê Saunders.

Junto à exposição fotográfica, “Terrosidades” integra um projeto pedagógico composto por oficinas de capacitação e encontros de desenvolvimento criativo, que vem sendo desenvolvido paralelamente à mostra e prossegue a ela.

Leia mais:
Praia no inverno: ideias de looks para arrasar nas areias
Deu nó: quatro looks com amarrações de Bruna Marquezine