Prepare a agenda artsy do ano com cinco exposições imperdíveis

by elav

A atriz Catharine Deneuve, fotografada por Man Ray, em 1968, em Paris – Foto: Divulgação

NATIONAL PORTRAIT GALLERY
A National Portrait Gallery traz para Londres a primeira exposição em um museu britânico dos retratos do americano Man Ray, pioneiro do dadaísmo que revolucionou a fotografia de moda a partir dos anos 1930. Man Ray Portraits reúne mais de 150 ampliações vintage de fotos feitas entre 1916 e 1968. De 7 de fevereiro a 27 de maio. www.npg.org.uk

Óleo sobre tela, Le Balcon, 1868-69, de Édouard Manet – Foto: Divulgação

METROPOLITAN MUSEUM
Chega à Nova York, a exposição O Impressionismo e a Moda, que esteve em Paris, e que mostra por que vale a pena comparar as belíssimas e grandiosas telas de Auguste Renoir e Édouard Manet com a confecção e a publicidade em torno da maneira de se vestir no final do século 19. Os tecidos que inspiravam cada estação do ano representam muito mais que um joie de vivre, mas evidenciam que a moda já seguia seus passos de poderosa ferramenta de comunicação e renovação de costumes. De 19 de fevereiro a 27 de maio. www.metmuseum.org

Still Life With Goldfish, 1986, Roy Lichtenstein – Foto: Divulgação

TATE MODERN
Há mais de 20 anos, Roy Lichtenstein não recebia uma retrospectiva à altura de sua obra. A Tate Modern, junto ao Art Institute de Chicago, acaba de elaborar uma grande homenagem a este artista. A mostra Roy Lichtenstein: a Retrospective reúne 125 telas-ícone de sua trajetória (algumas inéditas), desenhos e colagens raros, além de sua produção tridimensional, em metal e cerâmica. De 21 de fevereiro a 27 de maio. www.tate.org.uk

O cantor David Bowie, fotografado por Brian Duffy – Foto: Divulgação

VICTORIA & ALBERT MUSEUM
A primeira retrospectiva internacional da carreira de David Bowie chega ao V&A museum, em Londres. A mostra David Bowie is explora os processos criativos do performer como ícone cultural e músico, circundando seu estilo único e suas características camaleônicas durante cinco décadas. Mais de 300 objetos foram coletados – incluindo letras escritas à mão, figurinos e instrumentos originais, etc – para compor a exibição. De 23 de março a 28 de julho. www.vam.ac.uk

A obra Stage backdrop of Le Train bleu, 1924, de Pablo Picasso, faz parte da exposição Culture Chanel – Foto: Divulgação

GUANGZHOU OPERA HOUSE
A Maison Chanel viajou à Guangzhou Opera House, China, para circundar o universo cultural, desde os primeiros passos da grife, envolvidos no dia-a-dia de Gabrielle Chanel, com a mostra Culture Chanel. Suas aventuras, seu círculo social com pé na arte, seu comportamento avant-garde; tudo transmitia o estilo de vida e a linguagem própria da estilista. Não à toa, o status Chanel permanece inalterado há décadas. De 16 de janeiro a 3 de março. www.culture.chanel.com