Foto: Arquivo Harper’s Bazaar

As páginas dos livros são uma das melhores maneiras de “viajar” em tempos de isolamento social. De relatos de viagens a livros de fotografia, diversas obras são fontes de inspiração e conhecimento para planejar roteiros quando as fronteiras estiverem abertas novamente.

“Um lugar ao sol” – Slim Aarons

Os Fulles, por Slim Aarons – Foto: Divulgação

Slim Aarons atuou principalmente como fotógrafo de socialites, celebridades e do jet-setter americano, após servir como fotógrafo durante a Segunda Guerra Mundial. No livro “A Place in the Sun”, uma coleção de 250 fotos coloridas e deslumbrantes mostra celebridades da Era de Ouro em destinos ensolarados – do Caribe a Mônaco, de Aspen a Gstaad.

“Four Seasons: uma arte de hospitalidade”

Foto: Divulgação

As histórias do serviço e do savoir faire do Four Seasons Hotels and Resorts são contadas no “Four Seasons: A Arte da Hospitalidade”, livro da coleção Classics de 2018 da editora Assouline. Recheado de pinturas digitais lúdicas e evocativas do artista Ignasi Monreal, o livro retrata a essência da marca – uma empresa impulsionada por seus colaboradores, que entregam um serviço autêntico e de primeira linha em hotéis, resorts e residências ao redor do mundo.

“Trem Fantasma Para a Estrela do Oriente” – Paul Theroux

Foto: Divulgação

O americano Paul Theroux é autor de alguns dos melhores relatos da literatura de viagem. Em 1975 ele escreveu O Grande Bazar Ferroviário – De Trem pela Ásia, relatando sua jornada a partir de Londres, percorrendo a Europa, Oriente Médio, subcontinente indiano e Sudeste Asiático, e seu retorno via Ferrovia Transiberiana. Três décadas depois, Theroux refaz o roteiro para testemunhar e relatar as transformações tanto históricas como nas paisagens, registradas no Trem Fantasma Para a Estrela do Oriente.

“Viajando com Charley” – John Steinbeck

Foto: Divulgação

Ganhador do Prêmio Pulitzer (1940) e do Prêmio Nobel de Literatura (1962), John Steinbeck percorreu os Estados Unidos a bordo de uma picape, em uma jornada de redescobrimento de sua terra natal. De Nova York à Califórnia, ao longo dos 16 mil quilômetros, o escritor registrou suas impressões e encontros com os moradores de diversas cidades, e também descreveu com detalhes alguns dos mais belos cenários do país.