Foto: Reprodução/Instagram/@jaafarjackson
Foto: Reprodução/Instagram/@jaafarjackson

Jaafar Jackson, sobrinho do cantor Michael Jackson, esteve no Brasil para gravar o clipe ”Got Me Singing” com a direção e corroteiro de Marcos Mello Cavallaria, no VidigalRio de Janeiro, e com a Mangaba Produções, e o lançamento mundial do trabalho ocorre nesta sexta-feira (28.06). Mello Cavallaria já dirigiu videoclipes de artistas como IZA, Claudia Leitte e NX zero.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Filho de Jarmaine Jackson, um dos integrantes do lendário grupo Jackson Five, que lançou o rei do pop para o mundo, Jaafar escolheu o Rio para gravar seu mais novo clipe como forma de homenagear a cidade e o ritmo do passinho, que chamou a atenção do artista e que foi inserido no contexto da história.

Todo o projeto conta com o olhar de Hardy Indiigo, produtor renomado, de nomes como Madonna, e que viu em Jaafar um artista único e diferenciado. Jaafar descobriu seu talento para a música por acaso, ao cantar em casa aos 12 anos, e desde então nunca mais parou, estudou piano, música e foi pioneiro ao lançar, no final de 2018, seu primeiro projeto musical em parceria com a Nasgo, empresa de tecnologia do setor financeiro. 

O músico e o produtor falaram  com a Bazaar, leia entrevistas: 

Foto: Reprodução/Instagram/@jaafarjackson
Foto: Reprodução/Instagram/@jaafarjackson

Por que você escolheu o Rio para gravar seu clipe?
Sempre achei o Rio de Janeiro um lugar incrível e agora que o conheci passei a gostar mais. Minhas músicas possuem referencias musicais do estilo funk brasileiro dos anos 90. A minha musica possui essa mesma batida, então escolher o morro do Vidigal para gravar meu clipe foi uma forma de homenagear as raízes deste cativante estilo musical.

Qual é a sua expectativa com o lançamento deste novo trabalho?
Eu espero que minha musica de alguma forma toque as pessoas, quero que elas se divirtam escutando o meu álbum.

Quando começa a turnê?
Eu estou estreando agora depois de muitos anos de muito estudo e trabalho, tudo ainda é muito novo para mim e nós ainda estamos tentando entender como serão as coisas, e isto inclui a turnê que deve acontecer logo. E claro que o Brasil estará entre os lugares que eu gostaria de ir.

Quais são os artistas brasileiros que você ouve atualmente?
Eu escuto muito Astrud Gilberto, João Gilberto. Eu sempre fui um fã da bossa nova . Recentemente conheci o trabalho da cantora Anitta e de alguns outros artistas. O Brasil possui muitos talentos e eu adoraria colaborar em breve com algum deles

Como você conheceu a dança do passinho e por que decidiu homenageá-la no clipe?
Quem me introduziu ao ritmo do passinho foi o coreógrafo do vídeo, Normann Shay. Ele me mostrou alguns vídeos e eu adorei e pensei que seria perfeita para essa música. Eu quero incluir o passinho nas minhas performances no palco.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Marcos Mello Cavallaria

Como você conheceu o Jaafar?
Conheci Jaafar através de um amigo em comum, o fotógrafo do projeto, que apresentou meu trabalho para ele e para Hardy, produtor dele. Eles gostaram do meu trabalho e me convidaram para dirigir o music vídeo.

Como foi trabalhar com ele?
Foi incrível trabalhar com ele, é um artista completo, apesar de jovem. Além de um artista muito sensível, me emocionei com ele cantando e dançando várias vezes. Michael Jackson foi o maior artista, junto com Charles Chaplin, que me inspiraram artisticamente quando muito jovem. Então, ver a energia emanar do mais jovem Jackson pelas minhas lentes hoje, foi mágico! Jaafar carrega e representa à altura o nome Jackson. Fico lisonjeado de somar com a minha energia e vivenciar um novo Jackson florescer para uma nova geração, que não pode viver a era Michael, mas viverão a era Jaafar.

Que influências brasileiras [ou outras] você utilizou no clipe?
Eles já tinham o roteiro pronto, fizemos apenas alguns ajustes e considerações. As nossas influências vieram um pouco de ‘’Cidade de Deus’’.

Qual a expectativa para o lançamento?
A expectativa é comparável a minha empolgação com o talento do Jaafar, ou sejam, são altas. Espero que essa mensagem positiva da música alcance o máximo de pessoas. Procuramos fazer uma homenagem ao ritmo do passinho, dentro de uma história de amor de dois jovens vividos no clipe por Jaafar e Amanda. Impossível não se contagiar com o ritmo e deixar seu corpo dançar.

Leia mais:
Paris Jackson: cinco lições de estilo da americana para inspirar
“Mago do Pop”: série reúne grandes nomes da música brasileira
Lia Paris lança álbum e entra em turnê