Uma das capas do livro - Foto:Reprodução
Uma das capas do livro – Foto:Reprodução

Por Maria Clara Drummond

Sucesso de público e crítica, o português Valter Hugo Mãe lançou recentemente no Brasil O Apocalipse dos Trabalhadores (Cosac Naify, R$ 39). O livro conta a história de duas empregadas domésticas em Bragança que, apesar da dura rotina, buscam a salvação na esperança do amor. Para complementar a renda, as duas ainda trabalham como carpideiras em um cemitério, onde desenvolvem reflexões particulares sobre Deus – o artifício das letras minúsculas por toda a extensão do texto, na obra do escritor, é entendida pelos críticos como uma visão de mundo sem metafísica (A fase foi encerrada com O Filho de Mil Homens).

Um dos motivos da imensa popularidade de Hugo Mãe são seus personagens marginalizados que, mesmo nas situações mais adversas, têm uma espécie de chama interior que lhes dá vontade de viver. A prosa lírica e sentimental também conquista o leitor de cara – percebe-se que suas frases de ritmo poético foram trabalhadas para criar uma linguagem literária única.