A pintora Sonia Delaunay (1885-1979) foi uma figura chave na vanguarda parisiense e se tornou a dama européia da arte abstrata. Casada com Robert Delaunay, ela fez do lar um lugar de experimentações artísticas, através de tecidos e bordados, anunciando uma nova relação entre a arte e o cotidiano. A colcha de cama do filho recém nascido que ela produz em 1911 é considerada uma das primeiras obras abstratas da história, e apresenta já uma pesquisa sobre cores e dos contrastes simultâneos que acabou caracterizando toda a obra da artista.

Ficou conhecida pelo uso de cores fortes e formas geométricas, tendo experimentado com diversas mídias, desde a pintura, até design têxtil, figurinos, cenografias, moda e objetos. Junto com o marido ela celebrou a modernidade, a tecnologia e a vida urbana ao longo da primeira metade do século XX, e foi a primeira artista mulher viva a receber uma retrospectiva no Louvre em 1964. A exposição na Tate é a primeira retrospectiva do Reino Unido abrangendo a amplitude de sua prática artística e apresentando pinturas, têxteis e roupas que ela fez ao longo da carreira de sessenta anos, bem como os resultados das suas colaborações com poetas, coreógrafos e fabricantes de tecidos.

No vídeo teaser da exposição a modelo e musa parisiense Caroline de Maigret é convidada a fazer uma imersão no mundo de Sonia Delaunay, e reimaginar os dias atuais através da ótica e estética da artista. A expo fica em cartaz no Tate Modern até 09 de agosto.