As maravilhas (e luxos) das Cataratas do Iguaçu, no Paraná

No Escape desta sexta-feira, Bazaar visita o Belmond Hotel das Cataratas

by Camila Neves
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Explorar o mundo é bom demais, aliás é o que a gente mais gosta de fazer. Quando conhecemos mais a fundo o nosso próprio país, porém, chegamos a outro nível de experiência. Principalmente quando se trata de Brasil e de seu amplo (e fenomenal!) território, repleto de uma variedade impressionante de climas, relevos, vegetações e belezas naturais.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

As Cataratas do Iguaçu, por exemplo. Tão grandiosas, tão ricas, tão pouco faladas. Um prato cheio para quem quer se jogar na natureza selvagem sem deixar de lado o mínimo de conforto – ficar a poucos minutos de uma cidade de fronteira com Argentina e Paraguai acaba sendo bem prático.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Hotéis como o Belmond Hotel das Cataratas, famoso por ser todo cor-de-rosa (super fotogênico!) e o único dentro do bem conservado Parque Nacional do Iguaçu, oferecem muito além do básico. Sobretudo após o investimento de R$ 60 milhões na repaginada de suas 193 acomodações e espaços comuns – piscinas, restaurantes e jardins – depois de ser assumido pela rede de luxo Belmond, em 2007.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A abertura de um spa nota dez completa o upgrade. E os horários exclusivos para hóspedes para a observação do conjunto de 275 quedas d’água (!), uma das novas sete maravilhas da natureza desde 2011, se tornaram diferencial dos bons.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Tem muita história por trás da propriedade de 185 mil hectares: em 1915, o projeto do então Hotel dos Saltos nunca chegou a ser concluído devido aos conflitos políticos da época, e acabou completamente destruído por um incêndio em 1937, mas foi importante pontapé inicial na inserção de Foz do Iguaçu na pauta do turismo nacional e internacional.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A obra original do Hotel das Cataratas, iniciada em 1939, teve a 2ª Guerra Mundial como empecilho, sendo finalmente finalizada em 1958. Mais para frente popularizado como “Hotel da Varig” por, na época, ter por trás o mesmo grupo da extinta companhia aérea, facilitou – e muito! – a fama do destino nos anos 1990. Hoje, os gringos, europeus na maioria, parecem valorizar mais que do que os próprios brasileiros. Torcemos para que o quadro mude.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Das atrações terceirizadas indicadas pelo ótimo concierge do atual Belmond Cataratas, nada supera o passeio do Macuco Safari, que inclui tour com aula (em português, espanhol e inglês) sobre a flora local, passeio de lancha rápida (com ou sem banho de cachoeira, indicamos a primeira opção, é claro), rafting e cachoeirismo, uma espécie de rapel em meio às quedas. Assistir ao sol se pôr dentro ou fora d’água é outro must do no destino.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Quem estiver na vibe de compras, vale uma tarde no Paraguai, mais especificamente na loja SAX, que conta com bons achados originais das marcas que importam: Fendi, Stella McCartney, Pucci, e por aí vai. Vá direto ao sexto andar, com sales o ano inteiro.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Por último mas não menos importante, atravessar a ponte mais uma vez para jantar na Argentina é garantia de carne e vinho portenho da melhor qualidade e preço lá embaixo, aproveite!

Leia mais:
Roma a seus pés: conheça o melhor hotel da capital italiana
O lado zen da Itália: conheça opções para quem quer relaxar nas férias
Paula Ferber descreve jornada às margens do Rio São Francisco