Busca Home Bazaar Brasil

Aventura na neve: o que fazer na estação de esqui Whistler

Convidamos a influencer Bel Pimenta para conhecer o destilo esportivo

by redação bazaar
Foto: Arquivo Pessoal

Foto: Arquivo Pessoal

Relações públicas e influencer, Bel Pimenta entrega as dicas de Whistler, uma das estações de esqui mais sofisticadas do Canadá. Anote:

Onde dormir

Foto: Arquivo Pessoal

Foto: Arquivo Pessoal

Fiquei hospedada no Four Seasons, ao pé da montanha. O quarto é superaconchegante, com lareira, closet e banheiro enormes, além de vista linda. O hotel tem serviço ótimo de aluguel de tudo para esqui, até roupa, e o café da manhã é coisa de outro mundo.

Uma noite jantamos no Sidecut, onde comi o melhor salmão da minha vida! Na área externa do restaurante, achei um charme o míni food truck todo enfeitado com tema natalino e fogueira, onde servem s’mores (marshmallow assado no fogo e uma camada de chocolate entre duas fatias de cracker) e chocolate quente, com ou sem álcool.

É uma experiência única. Fomos após o jantar, estava nevando, então foi ainda mais mágico!

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Onde comer
O hotel oferece um shuttle para o vilarejo, mas é possível fazer tudo a pé, mesmo à noite. Adorei o jantar no Araxi – ambiente delícia, comida boa, bem calmo.

Christines, para almoço na montanha, é delicioso e a apresentação dos pratos, impecável! O ponto forte são as entradinhas. No Il Caminetto (jantar), comi um dos melhores carpaccios e uma salada de broto de beterraba linda e saborosa. Também foi incrível o jantar com fondue trufado no Chalet by Fairmont, todo de vidro, de onde você vê a neve caindo.

Foto: Arquivo Pessoal

Foto: Arquivo Pessoal

Bearfoot foi o ponto alto: restaurante/experiência inesquecível! Chegamos e fomos direto para uma adega subterrânea com mais de 20 mil garrafas. Depois, subimos ao restaurante para uma degustação de cinco pratos – o que eu mais gostei foi a carne, que derretia na boca, acompanhada de purê trufado. Antes da sobremesa, visitamos a “cave” a 29 graus negativos – usamos um casacão térmico especial e provamos vários tipos de vodca. E, para encerrar, sorvete que fazem na sua frente, e várias coberturas e crocantes para escolher.

Esportes de inverno

Foto: Arquivo Pessoal

Foto: Arquivo Pessoal

Whistler me fez amar o esqui. As opções de pista são muitas: mais de 250 para todos os níveis. Ou seja, pode-se esquiar todos os dias sem repetir. Há ótima sinalização e pessoas ao longo das pistas para te orientar, caso precise. Fora o cenário de tirar o fôlego! Um dos destaques de passeio é a gôndola Peak 2 Peak, que liga o pico das duas montanhas, Whistler e Blackcomb. É a maior gôndola em suspensão do mundo: ótimo programa para aqueles que não querem esquiar e, sim, subir e curtir a paisagem inacreditável e almoçar.

Foto: Arquivo Pessoal

Foto: Arquivo Pessoal

Além do esqui, fizemos tirolesa no meio das árvores e da neve. Foi uma experiência muito diferente. Existem, ainda, trilhas, passeios de helicóptero, snowmobile e até bungee jump. Para relaxar, fui ao Spa Scandinave. Você deixa o celular em um locker e não pode falar enquanto está lá! Perfeito para o après-ski! Fomos visitar o Audain Art Museum, que já vale a visita pela arquitetura do prédio. As exposições são muito interessantes.

Leia mais:
Hype Bazaar: três estações de esqui para todos

Hype Bazaar: três novos restaurantes em São Paulo para conhecer já
Hype Bazaar: as melhores sorveterias do eixo Rio-São Paulo
Day use: dê um mergulho no mar com luxo no litoral sul de São Paulo