Casa Versace – Foto: Divulgação

Em plena rua do Carmo, em Salvador, a Casa Versace é um oásis de hospedagem na capital baiana. Ela foi fundada por Antonella Versace, na propriedade que os pais dela compraram há mais de 20 anos. “O bairro de Santo Antônio era um lugar que nem os baianos frequentavam, virou um destino e um ponto de encontro”, conta Antonella, em entrevista à Bazaar.

Depois de morar em vários lugares ao redor do mundo, ela retornou ao Brasil em 2016 e decidiu reformar o espaço. “Comecei a gerenciar a casa, e ela começou a crescer e crescer. Hoje, a Casa Versace tem quatro apartamentos, e os planos são aumentar para mais três.”

Ele pode ser definido como um desejado “hotel secreto”, com todo cuidado de concierge e atendimento sob medida para cada hóspede – que recebe de Marisa Orth a Alice Wegman. “Aqui, o ser humano é o principal foco. Arrumamos o quarto de uma certa forma, com lençóis Trousseau, chocolate italiano, seleção de vinhos, canecas, canga de praia, massagem, ioga, transfer… tudo que os hóspedes percebem como um carinho”, enumera Antonella.

Toda a família se envolve no hotel – da decoração ao marketing da casa. “A reforma foi feita com minha mãe e meu pai aqui, não somos arquitetos e colocamos a mão na massa”, lembra.

E esta exclusividade se reflete na clientela. Antes da pandemia, 70% de reserva era direta e de 33 nacionalidades diferentes. “A Casa Versace foi feita respeitando o lugar, o entorno de onde estamos, a história, a realidade e a reutilização de materiais que já estavam aqui. O que era uma porta virou uma mesa, o que era uma janela virou um espelho de banheiro. Cabeceira de cama feitas com troncos que encontramos por aqui”, finaliza.

E ainda tem um atendimento fora do hotel. “Temos um manual com coisas alternativas para fazer em Salvador. Qualquer necessidade nós atendemos – nosso hospede é sempre o nosso foco.”