Tropical Manaus - Foto: Divulgação
Tropical Manaus – Foto: Divulgação

Por Vinicius Belo

Perdemos grandes hotéis nos últimos dias. Enquanto milhares de empreendimentos de luxo ganham vida mundo afora, a Cidade Maravilhosa, principalmente, perde grandes referências da nossa hotelaria.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Se você como eu gosta da tradição, muito mais do que o luxo, deve ter se surpreendido com o fechamento do Hotel Novo Mundo, símbolo dos Anos Dourados, que deixou de operar em março de 2019.

O prédio, vizinho ao Palácio do Catete, foi muito frequentado por Getúlio e Pelé, não muito longe dali, o saudoso Hotel Glória que que viveu parte dos momentos mais glamourosos do Rio foi comprado em 2008 pelo então milionário Eike Batista, no valor de R$ 80 milhões, que prometeu transformá-lo em um seis estrelas e uma referência luxuosa na rede hoteleira do país. As obras tiveram início em 2011. Dois anos depois, foram paralisadas por conta da derrocada financeira de Eike.

Saindo da Glória e partindo para o Centro, aberto para a Copa do Mundo de 1950, o Rio’s Presidente Hotel, próxima a Praça Tiradentes, fechou as portas no centro da cidade, também em março de 2019. Tinha 210 apartamentos e não suportou a violência crescente e o abandono da localização.

Não muito tempo atrás, o Gran Meliá, antigo Hotel Nacional, que ficou abandonado por anos e disputado por várias bandeiras hoteleiras, fechou as portas em março do ano passado, chegou a ser reinaugurado em dezembro de 2016 com investimentos de R$ 430 milhões.

Saindo do Rio com destino a Manaus, localizado às margens do Rio Negro, e grande referência em hotelaria no estado do Amazonas, o resort cinco estrelas Tropical Manaus teve na última semana sua energia cortada por conta de dívida com a concessionária de energia local, conta essa avaliada em quase R$ 8 milhões. Devido ao fato, o hotel teve que suspender suas atividades comerciais por tempo indeterminado. S

Segundo o Sindicato dos Empregados do Comércio Hoteleiro do Estado do Amazonas (SindHotel-AM), 80% dos profissionais da empresa devem ser dispensados. Seria agora a vez do Tropical Manaus fechar suas portas? Sem sombra de dúvidas, triste!

Maré Alta

Fairmont Copacabana - Foto: Divulgação
Fairmont Copacabana – Foto: Divulgação

Fechado em maio de 2017, o último prédio no posto 6 da Avenida Atlântica, que abrigou por 38 anos o extinto Sofitel Copacabana surge reformado, dando novos ares não apenas a Copacabana e ao Rio – que anda precisando -, mas para o lifestyle hoteleiro no Brasil. No segundo semestre deste ano, surge ali o Fairmont Rio, de propriedade da AccorInvest e administrado pela Fairmont Hotels & Resorts, grife da AccorHotels, que ganhou na Justiça em maio de 2014 o direito ao prédio, numa disputa de três anos pelo luxuoso número 4.240, tornando-se um símbolo de glamour na cidade.

O hotel passa a ser o primeiro com a super bandeira de luxo da Accor na América do Sul e com design inspirado na cultura local, o projeto é assinado pela arquiteta Patricia Anastassiadis. “Estamos construindo uma equipe de excelentes profissionais do mercado para cuidar da curadoria de experiências memoráveis para acolher nossos visitantes aqui no Rio de Janeiro e criar conexões genuínas entre a cidade e os hóspedes. Queremos ser palco para momentos marcantes, facilitar aos viajantes de descobrirem nossa Cidade Maravilhosa de formas novas e trazer aos cariocas experiências incríveis sobretudo em alimentos e bebidas e no spa”, comenta Netto Moreira, Gerente Geral do Fairmont Copacabana.

70 milhões de euros

Hyatt Regency - Foto: Divulgação
Hyatt Regency – Foto: Divulgação

O grupo Hyatt confirmou na última segunda-feira, 20, sua entrada em Portugal com um novo hotel em Lisboa, a abertura é prevista para 2020. Através de um comunicado da marca norte-americana, o Hyatt Regency Lisbon terá 200 quartos e apartamentos e será instalado entre a Rua da Junqueira e a Avenida da Índia, ao lado do centro de congressos da FIL e de frente para o Tejo.

A unidade resulta de um contrato de franchising assinado entre a empresa hoteleira e a Realtejo – Hotelaria e Turismo, S.A., pela United Investments Portugal (a empresa por detrás do Pine Cliffs de Albufeira e do Sheraton Cascais Resort, além da Yotel) e pela Fibeira, uma sociedade gestora de participações sociais com atividades na imobiliária, nos serviços e na hotelaria. O investimento? €70 milhões!

O mais novo 5 estrelas na Cidade do Porto

Vila Foz - Foto: Divulgação
Vila Foz – Foto: Divulgação

A cidade do Porto, ultimamente entre as mais queridinhas da Europa, contou com a inauguração no início deste mês, do Vila Foz Hotel & Spa. O hotel está situado no interior de uma mansão do século 19 e conta com 68 quartos.

O restaurante denominado como Vila Foz, sob à direção do chef executivo Arnaldo Azevedo, abrange uma proposta gastronômica sazonal habilmente preparada, com foco em frutos do mar.

Vila Foz - Foto: Divulgação
Vila Foz – Foto: Divulgação

Já o spa do Vila Foz é um santuário tranquilo de salas de terapia, banho turco e sauna, piscina coberta e uma área de relaxamento ao ar livre rodeada pela paisagem exuberante dos jardins.

Com vista para o litoral do Oceano Atlântico, o bairro da Foz do Douro, no Porto, é conhecido pelos seus restaurantes e boutiques chiques, assim como pela magnífica fortaleza do século 17, o Castelo do Queijo.

Os amantes da cultura estão bem servidos pelo Museu de Arte Contemporânea de Serralves, uma instituição cultural projetada pelo arquiteto Álvaro Siza Vieira. Lembrando que o hotel é membro da Design Hotels TM, uma ‘coleção’ de espaços únicos que oferecem design e arquitetura inspiradores.

Em Madri

Pestana Madri - Foto: Divulgação
Pestana Madri – Foto: Divulgação

O Pestana Hotel Group inaugurou também em maio seu primeiro hotel na cidade. O Pestana Plaza Mayor Madrid, instalado em um prédio do século 17 restaurado com as características originais, faz parte da categoria de exclusividade Collection Hotels. A marca portuguesa, que já está desde 2013 em Barcelona, abre o empreendimento no centro da capital espanhola com o intuito de se consolidar e crescer no país.

Quase metade dos 89 quartos e suítes têm varandas com vista para a praça, que é uma das principais de Madri. Há também spa, academia e terraço com piscina ao ar livre. Hóspedes e visitantes podem comer tapas, doces e petiscos espanhóis na cafeteria do hotel, o Café de la Plaza, ou beber drinques na coqueteleira.

Raflles: Maldivas e China

Raffles Maldivas - Foto: Divulgação
Raffles Maldivas – Foto: Divulgação

Você provavelmente já deve ter ouvido falar na Raffles, uma “it” coleção de hotéis e resorts de luxo, – classificada como uma das melhores do mundo -, da rede Accor. A marca acaba de abrir dois novos hotéis, o Raffles Shenzhen, em Hong Kong, e o Raffles Maldives Meradhoo, que como o nome já entrega, nas Maldivas.

Raffles China - Foto: Divulgação
Raffles China – Foto: Divulgação

Experiência é o que não falta para a grife que opera hoje 15 poderosos hotéis de luxo. E não para por aí. Estão previstos para o ano de 2020 o Raffles Udaipur, projeto com 101 quartos, que pretende ser o primeiro hotel da marca na Índia, o Raffles Jaipur, com inauguração prevista para até 2022, que será um hotel com 55 quartos e que está sendo construído em Kukas, na cidade de Jaipur, o Raffles The Palm Dubai, que terá 125 quartos e suítes, uma posição privilegiada no extremo do arquipélago Palm, proporcionando vistas de 360 graus da costa de Jumeirah e do Golfo Pérsico, inauguração prevista para 2021, e ainda é previsto com inauguração programada para 2021, o Raffles Boston Back Bay Hotel & Residences.

Não podemos deixar de citar o Raffles London, atualmente em construção, estará localizado dentro do edifício Old War Office em Whitehall. A propriedade está sendo transformada em um emblemático hotel, com 125 quartos e suítes, restaurantes, spa e 85 residências privadas. Que tal?

15 hotéis até 2020

The Selina - Foto: Divulgação
The Selina – Foto: Divulgação

Para dar continuidade ao projeto de inaugurar 15 hotéis até 2020 nos Estados Unidos, a rede Selina anunciou três novas propriedades em Nova York, levando o ambiente criativo para músicos e artistas. Uma delas, o Hotel Americano, que se localiza no centro do Chelsea, e que conta com 226 quartos. Além disso, a hospedagem terá um rooftop, em formato de galeria de arte, que funcionará durante o ano todo.

Outro aspecto que a rede Selina continua trazendo é a diversidade na abordagem de suas localidades. Afinal, a rede possui hotéis em áreas urbanas, florestais e litorâneas por toda América Latina e Europa. Nesses novos terrenos, a cidade de Woodstock, Estado de Nova York, é o diferencial. Com 27 mil m², o hotel apresentará o selo Selina Music Studios, além de funcionar como hospedagem para artistas e criadores, com suas 297 camas. No final de 2018 foi anunciada a abertura do Bowery, primeiro hotel da rede em Nova York. Ainda em desenvolvimento, a hospedagem de 63 mil M² contará com 200 quartos, lojas e um espaço na cobertura. Assim, o hotel ainda terá um programa de residência no lugar, com estúdios de gravação.

De volta

Mandarin Oriental - Foto: Divulgação
Mandarin Oriental – Foto: Divulgação

O Mandarin Oriental reabre suas portas após o trágico incêndio que quase o destruiu em junho de 2018. Foi quando Londres parava para ver um enorme fogo destruir parte de um dos seus mais icônicos hotéis. Ali desde 1902, o espaço sucumbia pela segunda vez na sua história às chamas. E o mais trágico era que tudo isto acontecia exatamente uma semana após a reabertura, depois de obras de restauração de mais de 100 milhões de euros.
Foi um choque para muitos – e um susto, o receio de que a incrível fachada do número 66 de Knightsbridge pudesse ser destruída. Mas enquanto os 36 hóspedes do hotel, que incluíam o cantor Robbie Williams, e 250 membros do seu staff eram retirados, o incêndio que atingiu vários andares foi rapidamente extinto por mais de 120 bombeiros.

Pouco menos de um ano depois, o Mandarin volta agora à vida, em pleno auge do seu luxo, com uma reforma milionária, designer Joyce Wang e novas suítes e espaços de luxo único e com vistas deslumbrantes do horizonte de Londres. Atualmente, uma noite no Mandarin Oriental Hyde Park, em maio, por exemplo, ronda os 700€ em quarto duplo. Vida longa!