Ilha italiana Íschia, reduto ideal para os viajantes que querem combinar descanso com belas paisagens - Foto: Divulgação
Ilha italiana Íschia, reduto ideal para os viajantes que querem combinar descanso com belas paisagens – Foto: Divulgação

Terceira ilha mais populosa da Itália, com cerca de 60 mil habitantes, atrás apenas de Sicília e Sardenha, a Íschia é um paraíso de origem vulcânica que concentra nascentes termais com propriedades terapêuticas. O balneário italiano é o reduto ideal para os viajantes que querem combinar descanso com belas paisagens, além de tratamentos de beleza e saúde que utilizam lama vulcânica e águas termais. Para chegar à ilha, o turista deve utilizar um aerobarco ou uma balsa que saem dos portos de Nápoles, Pozzuoli, Mergellina e Procida. No verão, há também a possibilidade de acessar a ilha por Salerno, Amalfi, Positano, Sorrento, Capri e Formia.

escape-ischia-01
Praia de Casamicciola – Foto: Divulgação

O que fazer?
Ao chegar, vá para a cidade de Íschia Porto, principal centro comercial da ilha. Pela variedade de bares e restaurantes, o local é perfeito para desfrutar de um delicioso café da manhã ao lado do porto.  À tarde, o destino é Casamicciola, ao norte da ilha, muito conhecida por suas águas termais. Entre suas principais atrações está o Castiglione, grande centro de spa termal. Outra opção é Forio, na costa ocidental da ilha, com várias praias e balneários, como a praia de Citara, e um dos maiores centros de spa da ilha, o Giardini di Poseidon. Para fechar o dia, siga a Íschia Ponte onde fica o imponente Castelo Aragônes. A construção de 474 a.C, tem 80 metros de altura e uma vista de tirar o fôlego. Abriga também uma exposição de quadros belíssima. Aproveite para fazer compras nas mercearias típicas italianas.

Castelo Aragônes na ilha italiana Íschia - Foto: Divulgação
Castelo Aragônes na ilha italiana Íschia – Foto: Divulgação

Reserve ainda uma tarde para passear nos belos parques de lá como a Villa La Colombaia, que foi residência do famoso diretor Luchino Visconti, a Villa La Mortella, que fazia parte da casa do compositor e maestro William Walton; e o Giardini Ravino, um jardim botânico que possui um dos mais ricos acervos de cactos da Europa.

Vista da ilha - Foto: Divulgação
Vista da ilha – Foto: Divulgação

Para mais infos: www.enit.it