g-cancun-hotel-intercontinental-32
Os golfinhos do Dolphin Discovery, em Isla Mujeres – Foto: Camilla Bello

Por Camilla Bello

Cresci vendo o mar, ele sempre esteve a poucos passos de onde eu morava. Mesmo quando me mudei, e não foram poucas vezes, ele esteve por perto, me rodeando, ou, em bom “nordestinês”, me arrodeando. Se eu disser que morei em Recife até os 20 e poucos anos, se justifica o fato. Apesar de tamanha convivência, nada se compara ao nível de encantamento que eu, marinheira de primeira viagem, fiquei ao colocar os pés nas areias da praia de Cancun, no México.

A convite do Hotel Intercontinental, do IHG (InterContinental Hotels Group), fui conhecer o complexo situado na zona hoteleira do caribe mexicano, que havia acabado de passar por uma reforma milionária – 10 milhões de dólares, para ser exata. Tal investimento resultou em uma mudança radical, que demorou cerca de três meses, e, praticamente, o transformou em outro. O resultado final do extreme makeover é bastante agradável e, claro, luxuoso.

Os dois restaurantes instalados por lá, um deles batizado de Le Cap (especializado em comida mediterrânea) e o El Caribenho (focado na cozinha internacional), servem ótimos pratos e drinques aos hóspedes dos 300 quartos disponíveis. As duas piscinas, cinco hidroginásticas e o serviço de spa garantem uma estadia tão completa que nem é necessário sair.

Ali bem perto, em Cozumel, a apenas um passeio de barco de distância, está outro hotel da rede, que também precisou passar por reformas recentemente, graças à “visita” de Wilma, um furacão que destruiu grande parte das construções da região.

Fazendo do limão uma limonada com água de coco (trocadilho inserido para citar o refrescante drinque servido no bar da casa), ele foi reconstruído com uma estrutura ainda mais focada no segmento de luxo. Algumas suítes, por exemplo, têm varanda na praia. O mood pé na areia garante um visual de tirar o fôlego e o acesso direto e exclusivo ao paradisíaco mar caribenho também. Ideal para cerimônias de casamento e lua-de-mel.

Para além do conforto e descanso promovido pelos resorts, é possível fazer ótimas atividades fora deles. Entre as opções, testadas e aprovadas pelo nosso grupo, destaca-se uma noite em Xoximilco, que inclui um passeio a bordo de coloridas trajineiras (barquinhos) pelos canais locais degustando snacks & drinks tipicamente mexicanos, enquanto os nativos te inserem nas histórias folclóricas e culturais – tudo sob o aval do Ministério do Turismo.

Há várias possibilidades e modalidades de mergulhos no mar de águas coloridas por 50 tons de azul, além de passeios pilotando minilanchas – sim, você é o piloto. Uma voltinha lado a lado aos golfinhos, que, vale citar, vivem em água salgada, em estrutura montada no Dolphin Discovery, também deve entrar na lista de afazeres. E que tal uma tirolesa sobre as águas cristalinas? Só se for agora…

Enfim, a variedade é tanta que, pros viajantes que preferem apenas escolher entre as opções e deixar toda parte burocrática para outra pessoa, é aconselhável entrar em contato com agências de turismo. A AT Travel, comandada por guias brasileiros supersimpáticos, foi fundamental. Ele cuidam de tudo, do começo ao fim, já que a ideia é se divertir e aproveitar ao máximo a sua viagem, sem preocupações.

g-cancun-hotel-intercontinental-31
Deck de chegada ao parque Garrafón, situado em Isla Mujeres – Foto: Camilla Bello

Se você deseja ter uma experiência como essa, deixamos outra dica: a Aeroméxico já tem vôos direto para lá.

Agora é só fazer a mala. O que levar nela? Uma boa câmera para os registros eternos e palpáveis, seu melhor beachwear, óculos de sol, sandálias confortáveis e, claro, muito protetor solar! Ah, e não esqueça de se desconectar!