Busca Home Bazaar Brasil

Mariana Ximenes descreve sua experiência zen na ilha de Yao Noi, na Tailândia

Atriz foi para o local para descansar e se apaixonou pela viagem

by Antonella Salem
Mariana Ximenes explora as cavernas da região de Phang Nga Bay de caiaque - Foto: Divulgação

Mariana Ximenes explora as cavernas da região de Phang Nga Bay de caiaque – Foto: Divulgação

Mariana Ximenes em depoimento a Antonella Salem

Amo viajar e desvendar os mistérios que existem em cada canto que escolho visitar. Sou e sempre fui fascinada pelo mapa-múndi – são tantos lugares para conhecer, tantas possibilidades que meu coração acelera só de pensar. Justamente por isso, não preciso de muito para arrumar as malas e entrar em um avião.

Desta vez, as motivações foram, ainda, a amizade e o afeto: meu grande amigo Zeca Camargo, que também é um apaixonado por viagens, decidiu comemorar seu aniversário com uma ida à Bangkok, na Tailândia, e Luang Prabang, no Laos, na companhia de seus melhores amigos.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Mariana mergulha no mar translúcido, com a quietude da natureza ao redor - Foto: Divulgação

Mariana mergulha no mar translúcido, com a quietude da natureza ao redor – Foto: Divulgação

Como já estaria na Ásia, pensei que seria uma ótima oportunidade para esticar até Bali e visitar minha comadre, (a chef) Morena Leite, que estava morando lá com a filha (e minha afilhada).

A ideia me animou na hora, porque, além de celebrar a vida ao lado das pessoas que amo, conheceria destinos inéditos para mim. Sabia que seria agitado, tanto por causa da turma incrível que estava indo, como pelos lugares por onde iríamos passar. Ao mesmo tempo, sentia uma necessidade de descansar. Estava saindo de uma longa jornada de trabalho e precisava casar a diversão com o relaxamento.

Com isso em mente, fiz uma pesquisa por destinos pé-na-areia – mas com conforto. Diante desse desejo tão gritante, lembrei que tinha visto umas fotos incríveis do meu amigo Jeff Ares. Instagram é ótimo para isso, né? Entrei em contato, e ele tinha o lugar perfeito – na própria Tailândia, ainda por cima: Phuket – a uma hora de voo da capital, Bangkok.

 Prática de yoga ao ar livre no Six Senses Yao Noi - Foto: Divulgação

Prática de yoga ao ar livre no Six Senses Yao Noi – Foto: Divulgação

Lá, na minúscula ilha de Yao Noi, existe um pedaço de paraíso onde só se chega de barco – ideal para uma viajante como eu, que gosta de aventuras, natureza, praia e boa comida. Foi lá que fui apresentada ao hotel Six Senses Yao Noi. Na chegada à ilha, ainda no barco, quase não se veem as construções, tamanha a integração com a natureza – uma intervenção sutil e elegante.

O espaço é de extremo bom gosto, construído, em grande parte, com matérias-primas encontradas na própria ilha, principalmente madeira e pedra. As atividades propostas aos hóspedes são todas ligadas ao bem-estar, tendo a natureza ao redor como protagonista dessa experiência única. Fiz ioga, tikun, massagens (o spa possui um cardápio amplo, com inúmeros tratamentos que te proporcionam um relaxamento profundo), me consultei com um médico ayurveda indiano que estava atendendo no local por uma temporada.

Integração total com o meio ambiente em uma das villas erguidas com matéria-prima da própria ilha, principalmente madeira - Foto: Divulgação

Integração total com o meio ambiente em uma das villas erguidas com matéria-prima da própria ilha, principalmente madeira – Foto: Divulgação

Isso tudo só nos três dias em que fiquei por lá. Tem ainda academia superequipada, aulas de boxe tailandês (não poderia faltar…) em um ringue de frente para o mar, curso de cozinha (cupcakes!) para as crianças, curso de pintura… Fiquei muito impressionada. Poderia ficar um mês inteiro ali!

E, além de tudo, tem os passeios: ir de barco até uma ilha próxima e explorar cavernas de caiaque, mergulho de garrafa, passeio de tuk tuk pela vila de Yao Noi e plantações de abacaxi, Phi Phi Island e, pessoalmente, o meu favorito: tomar um vinho numa ilhota deserta, perdida naquele mar de águas calmas e estrategicamente posicionada de frente para o pôr-do-sol, seguido de um jantar à luz de velas no mais absoluto silêncio e privacidade.

. Passeio em embarcação típica - Foto: Divulgação

. Passeio em embarcação típica – Foto: Divulgação

A lista é infinita de programas deliciosos, de transbordar os olhos com tanta beleza. Não fiz todos, naturalmente, ainda quis ficar um tempinho ali jogada na areia da praia do hotel, desfrutando da quietude e da paisagem estonteante – acreditem, mesmo no meio de tantas coisas, ainda consegui tempo para isso.

O resort faz de tudo para reduzir seu impacto na natureza, é a grande bandeira da rede Six Senses – são poucos hotéis que compõem o grupo, cada um incrível à sua maneira. Eles, por exemplo, não usam plástico, e vão além disso – os funcionários são proibidos de voltar à ilha com embalagens plásticas depois de viagens ao continente. Isso é tudo muito especial, pois é algo urgente e ainda não abordado com a atenção devida.

 Mariana relaxa à beira da piscina que parece se fundir com o mar - Foto: Divulgação

Mariana relaxa à beira da piscina que parece se fundir com o mar – Foto: Divulgação

O Six Senses Yao Noi é, ainda por cima, um espaço comprometido em causar o menor impacto possível na ilha em que está localizado – onde já existia uma pequena e autossuficiente população nativa. É fácil perceber essa consciência de toda a competente equipe no cotidiano. Dentre as iniciativas, há uma horta orgânica própria, que abastece os quatro restaurantes do resort, uma estação de tratamento de água, de onde vem toda a água (potável e não potável) utilizada no hotel, e detalhes aparentemente discretos, mas que exemplificam bem o que diferencia o Six Senses de outras cadeias de hotéis.

Como uma granja onde as galinhas escutam música e na qual o hóspede pode buscar pessoalmente os ovos que quiser comer no café da manhã – mas não sem levar uma eventual bicada no calcanhar. Esse cuidado com um negócio sustentável se estende a quem passa por lá. Eles acolhem o visitante de forma delicada e particular.

 Villa com piscina privativa e visão panorâmica para o oceano - Foto: Divulgação

Villa com piscina privativa e visão panorâmica para o oceano – Foto: Divulgação

Foram dias muito especiais para mim, de conexão comigo mesma e com a natureza. Vivi experiências e sensações que guardarei na memória para sempre. Saí preparada para viver mais uma experiência incrível, que veio como uma bela surpresa: lá recebi a notícia de que o filme no qual atuei “O Grande Circo Místico”, dirigido pelo mestre Cacá Diegues, havia sido selecionado para o Festival de Cannes, que aconteceria dentro de poucas semanas.

 Pausa nas plantações de abacaxi durante passeio de tuk tuk pelo povoado de Yao Noi - Foto: Divulgação

Pausa nas plantações de abacaxi durante passeio de tuk tuk pelo povoado de Yao Noi – Foto: Divulgação

Depois de Tailândia, Laos, Myanmar, Camboja e Indonésia, parti rumo à França completamente inspirada por toda a vivência intensa e poética na Ásia. Mas aí já é outra história…

Leia mais:
Cruzeiro de luxo dará volta ao mundo em 2021
Capadócio vai muito além dos balões
Caribe: ilha de Santa Lúcia vai ganhar resort espetacular