Me mudei para Portland por amor à dança. Balé, especificamente. Conhecida por seus parques, jar­dins, pontes e ciclovias, a cidade do Estado do Oregon, no no­roeste dos Estados Unidos, é uma das mais ecológicas do mun­do e respira vida saudável. Cheguei em julho do ano passado. Sou bailarina desde os 3 anos de idade, já dancei para o Co­astal City Ballet, em Vancouver (Canadá), e passei a integrar a OBT2, segunda companhia do Oregon Ballet Theatre.

Me apaixonei pela cidade. Portland é um balanço perfei­to entre grande e pequena. Grande, porque sempre tem muita coisa acontecendo – os times oficiais Timbers (futebol) e Trail Blazers (basquete) são parte do cotidiano –; pequena, pois você se sente envolvida e acolhida pela comunidade e o meio ambiente. Em dias ensolarados, ninguém fica dentro de casa. Há lugares lindos e verdes para explorar, como Mount Tabour, Forest Park, Rose Garden e a trilha ao redor do Rio Willa­mette, que percorre os dois lados da cidade. Como eu, quase todo mundo tem uma bicicleta, e as pessoas são superamáveis e descontraídas. “Keep Portland Weird” é o slogan que aparece nos prédios públicos e por muitos cantos, e traduz o clima e li­festyle nas ruas – excêntrico!

O Oregon Ballet Theatre fica em South Waterfront, então, sempre que tenho um dia longo de ensaios ou um interva­lo, vou almoçar nas mesas de piquenique bem em frente ao rio, olhar para os barcos e relaxar. Lá perto, tem food carts óti­mos! Moro no NA Hawthorne Boulevard, uma área bem es­pecial e movimentada, com muitas lojinhas e restaurantes. Um dos meus lugares favoritos na cidade é o Salt & Straw, criado em Portland, e o sorvete é simplesmente maravilhoso. Sempre que posso, vou com os amigos experimentar os novos sabores, muito criativos. Que tal coco com chips de menta e chocola­te? Ou canela spicy e cookies? No café da manhã, sou fã do Jam, e o Stumptown Coffee Roasters é outra boa pedida e serve um café delicioso! Também adoro ir, todo sábado, ao Farmer’s Market, uma delícia passear pelas vendinhas e ver tudo super­fresco e orgânico. E tem o Saturday Market, uma grande feira outdoor de arte e artesanato. Nesse quesito, aliás, parada obriga­tória no Portland Art Museum, com uma coleção eclética que vai de arte moderna e nativa americana até europeia.

Na hora das compras, não deixo de ir à House of Vinta­ge e garimpar peças únicas despojadas, à Portland Dancewe­ar, Powell’s Book Store e à loja Fuego, no Pioneer Place. A rua NW 23rd também é deliciosa para passear. Nightlife? A cidade é repleta de cervejarias e barzinhos. Um dos meus preferidos, o Valentine’s possui um upstairs lindo e confortável. Na parte de baixo, DJ e pista de dança pequena, e os drinks são maravi­lhosos. Portland é uma grande descoberta.