Serra da Mantiqueira – Foto: iStock

Um dos setores turísticos no Brasil que cresce, em média, de 10% a 15% ao ano, de acordo com pesquisa realizada pela Uvibra (União Brasileira de Vitivinicultura), e está em retomada de crescimento, após a interrupção do turismo no cenário pandêmico, é o enoturismo. Essa forma de turismo tem como objetivo o envolvimento das pessoas em degustações de vinhos, apreciando os seus sabores e aromas diversificados, envolvendo os turistas com a cultura e as tradições locais – desde como se produz essa bebida secular até o envasamento -, trazendo a essas pessoas um conhecimento rico sobre a atmosfera maravilhosa que é o vinho.

A região que se destaca por essa forma de turismo é a Serra da Mantiqueira. Local com montanhas e cachoeiras, fica na divisa de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. As vinícolas que podem ser encontradas e visitadas estão em três cidades com maior destaque, que são as que os produtores locais adotaram o enoturismo como uma forma de atrair turistas para a região, principalmente no período de outono e inverno. Seriam eles os municípios de Campos do Jordão, São Bento do Sapucaí e Santo Antônio do Pinhal, também conhecidos como Triângulo das Serras.

A vantagem desse passeio sofisticado é a riqueza de conhecimento que se adquire durante a viagem, pois pode-se visitar as vinícolas familiares, com direito à piquenique, visitar os campos e comprar os vinhos de produtores locais, além da sofisticação de tomar um vinho riquíssimo de sabor e aroma, em meio à paisagem de montanhas, degustando com queijos e doces finos produzidos artesanalmente pelas pessoas locais. Inclusive, alguns produtores de vinhos também produzem geleias, castanhas e frutas vermelhas.

A variedade de vinhos durante esse passeio de degustação é enorme: desde um vinho tinto até um espumante. A experiência de participar e de conhecer essa atmosfera dos vinhos é muito válida, além de ser uma viagem curta, que pode ser feita em um final de semana, pois tem ótimas opções de hospedagens para os turistas e também outros passeios que enriquecem ainda mais o conhecimento, como museus locais contando a história do café, exposições de bordados e outros artesanatos produzidos por mulheres, além de estar no meio das montanhas com a paisagem rica que a natureza oferece. Uma viagem dessas é trazer uma bagagem de conhecimento dentro de nós. Assim como os produtores locais dizem, “abrir uma garrafa de vinho é degustar a história dela”.