Viagem: roteiro inesquecível por Bodrum, com parada em Istambul

Anote as dicas de Marcela Cimino, gerente de marketing do Iguatemi 365, e-commerce que o Grupo Iguatemi lança em 2019

by Antonella Salem
Marcela passeia pelos domínios do Six Senses Kaplankaya, na Península de Bodrum, banhada pelo Mar Egeu - Foto: Arquivo Pessoal

Marcela passeia pelos domínios do Six Senses Kaplankaya, na Península de Bodrum, banhada pelo Mar Egeu – Foto: Arquivo Pessoal

A estrada vai costeando o mar de um azul-turquesa lindo, e uma sensação de paz toma conta de mim. Me lembra a Grécia, talvez pela geografia, as rochas, a vegetação árida, as oliveiras e as casinhas pintadas de branco. As Ilhas Gregas, por sinal, ficam logo em frente. Estou em Bodrum, um paraíso no litoral sudoeste da Turquia banhado pelo Mar Egeu. “Riviera turca”, costumam dizer.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Há muitos anos este país transcontinental esteve na minha bucket list pela rica cultura e história. Curiosamente, séculos atrás, Bodrum era Halicarnassus, uma cidade da Grécia antiga… Viajei com meu marido, na nossa lua-de-mel, e escolhemos ficar sete dias na costa e três na capital, Istambul, um mix perfeito de praia e cidade.

Marcela caminha em uma passarela de madeira sobre o mar no Maçakizi Hotel - Foto: Divulgação

Marcela caminha em uma passarela de madeira sobre o mar no Maçakizi Hotel – Foto: Divulgação

Maçakizi foi nosso primeiro refúgio na Península de Bodrum, um hotel boutique familiar antigo, mas super atual. É estiloso e badalado, com som muito bom e um deque sobre o mar de cair o queixo. Meu quarto era bem confortável, no alto, com terraço emoldurado por primaveras e visual para o mar.

O restaurante, arriscaria dizer que é o melhor da região, com pratos tradicionais turcos no almoço e mediterrâneos fusion à noite. Um dia, alugamos um barco para ir a algumas ilhas e praias, com água transparente com temperatura perfeita, e tivemos um almoço gostoso que o staff preparou a bordo.

É possível ir às Ilhas Gregas, mas deve-se avisar com antecedência, pois há a questão da imigração. Em uma tarde, fomos conhecer Yalikavak, uma marina nova e imensa a cerca de meia hora do Maçakizi, com muitas lojas e restaurantes (Zuma, por exemplo).

Área do badalado lounge à beira-mar - Foto: Arquivo Pessoal

Área do badalado lounge à beira-mar – Foto: Arquivo Pessoal

A duas horas de estrada, o Six Senses Kaplankaya, nosso próximo hotel, foi maravilhoso e com outra proposta. Novíssimo, ao norte de Bodrum, é um empreendimento fora do comum, rico em biodiversidade, que abriga muitas das espécies botânicas encontradas na Turquia. E lá tudo é sustentável, pensado para minimizar o impacto sobre o meio ambiente e a comunidade local.

Tem três praias, duas mais perto do hotel e a Anginga, mais afastada e também a minha favorita. O pôr-do-sol de cima do Clubhouse foi um dos mais bonitos que já vi. Há diversas opções de restaurantes, todos com culinária mediterrânea e orgânica. A exemplo de qualquer resort da marca Six Senses, trata-se de um lugar para recarregar a energia, tranquilo, com um spa maravilhoso. Fizemos o banho turco e algumas massagens, claro.

Ficamos bem acomodados em uma casinha supermoderna. Me chamou a atenção também o tamanho do centro médico – machuquei o pé e acabei conhecendo – e o serviço muito atencioso. Uma noite, deixaram uma carta em meu nome lamentando o machucado e enviaram champanhe e frutas para que eu melhorasse.

Reservamos um jantar a dois em um deque à luz de velas e foi ultrarromântico, com a lua cheia. Atividades por lá? Praia, stand up paddle, caminhadas e tours para ruínas históricas, como o templo Didyma Apollo. E tive a chance de fazer meus próprios cosméticos orgânicos.

Visão aérea de uma das três praias de Kaplankaya e o mar azul-turquesa - Foto: Divulgação

Visão aérea de uma das três praias de Kaplankaya e o mar azul-turquesa – Foto: Divulgação

Além da experiência em Bodrum, passei por Istambul, onde confesso que tive a sensação de insegurança em meio ao caos urbano e ao trânsito absurdo. Mesmo assim, o Hotel Kempinski Ciragan, em um antigo palácio otomano de frente para o Bósforo, foi de tirar o fôlego.

Drinks em frente ao Bósforo no Hotel Kempinski Ciragan, em Istambul - Foto: Arquivo Pessoal

Drinks em frente ao Bósforo no Hotel Kempinski Ciragan, em Istambul – Foto: Arquivo Pessoal

Amei tomar drinks no fim da tarde no jardim. A cidade velha, com destaque para a basílica Hagia Sophia, cisternas, ruazinhas de pedra e casinhas quase em labirinto, parece uma viagem no tempo. Entre os restaurantes, adoramos o Zuma e o Sunset Grill para jantar; e, quando visitamos o Grand Bazaar, foi ótimo o almoço no Nurs Et.

Na região de Nisantasi, tomei um negroni no Glens, imperdível. Na memória dessa viagem, me vem a comida incrível e a imagem do pôr-do-sol laranja sobre a água cristalina.

Leia mais:
Sete hotéis ao redor do mundo que vc precisa conhecer
Antiga fazenda de café de 1850 vira hotel de luxo no Rio
W South Beach: conheça o hotel que tem US$ 50 milhões em obras de arte