Victoria Beckham - Foto: reprodução / Harper´s Bazaar
Victoria Beckham – Foto: reprodução / Harper´s Bazaar

O que Victoria Beckham pensa sobre o envelhecimento: “Eu gosto de como me sinto aos 41 anos. Mas não gosto muito de como isso soa”.

Como o luxo entrou em sua vida: “Meu pai costumava levar meus irmãos e eu para a escola em um Rolls-Royce. Eu morria de vergonha e implorava para ser deixada um pouco antes”.

Sua primeira grande aquisição após receber o primeiro “salário” como Spice Girl: “Uma sandália branca de Patrick Cox”.

Quando sua obsessão fashion começou: “Quando eu estava na escola, customizava meus uniformes no banheiro”.

Como as Spice Girls quase foram chamadas: “Nós íamos ser chamadas de Spicy Girls, mas depois achamos um site pornô com este nome, então, obviamente, desistimos”.

Ela cantou ‘Mein Herr’, do musical Cabaret, em sua audição para as Spice Girls: “Aparentemente, se procurar muito, você pode achar o vídeo disso na internet”.

O poder das Spice Girls: “Nós éramos reais, não formos coreografadas nem inventadas. Individualmente não éramos tão boas, mas juntas tudo acontecia melhor, e as meninas eram complementares”.

O girl power: “A amizade entre garotas é o que realmente vale”.

Acredita em amor a primeira vista: ela viu David Beckham depois de uma partida de futebol. Enquanto todos os outros jogadores estavam com os amigos se divertindo e bebendo, David estava com sua mãe e sua irmã mais nova.

Seu presente mais extravagante para David: “Eu gastei tudo o que tinha em uma Ferrari. Ele sempre amou carros, e eu só queria que ele tivesse algo desejava muito e que ele mesmo não compraria”.

Seus filhos não são mimados: Brooklyn, de 16 anos, até trabalha aos fins de semana.

Ela estava nervosa ao desfilar para Roberto Cavalli: “Minha mãe disse: ‘Você já faz isso há 30 anos, se não conseguir fazer isso agora, nunca mais conseguirá'”.

Como identifica a mulher de sua marca: “Minha consumidora ama moda e aprecia o luxo. Quero fazê-la se sentir como a melhor versão possível de si mesma. Minha cliente viaja muito… Ela realmente sou eu!”

Ela leva as criticas sobre sua marca como algo muito sério: “Eu leio cada comentário que fazem e, por mais que algumas pessoas digam que não ligam, todas, na verdade, realmente se importam”.

Ela costumava falar pessoalmente com seus clientes e com a imprensa sobre suas coleções: Victoria adora falar, é algo que flui naturalmente.

Uma pessoa que adoraria conhecer : Hillary Clinton.

Ela não é competitiva com seu marido: “David não faria o que eu faço, e eu não gostaria de ser uma jogadora de futebol”.

Ela não tem certeza quantas tatuagens David tem: “Perdi as contas!”

O que vem a seguir no império Victoria Beckham: “Sapatos, coleção infantil, masculina e também lojas em Nova York e Hong Kong, eu espero!”

Sobre a possibilidade de fazer uma colaboração com alguma fast fashion: “Ela existe. Eu gostaria de oferecer roupa para pessoas que não podem pagar o preço de uma peça de designer.”