Cena de “Azul É a Cor Mais Quente” – Foto: Reprodução/IMDb

Por Ana Carolina Soares

Enfim, chegou dezembro! Talvez como você, pretendo manter quilômetros de distância da TV aberta e suas temporadas de retrospectiva (precisa ser muito sadomasoquista para rever os “melhores momentos” de 2020, não? rsrs). Ao invés disso, quero apostar em filmes que me inspiram: afinal, um bom orgasmo libera ocitocina, o hormônio do bem-estar, substância fundamental para lidar com esses tempos 🙂

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Nessa lista, ficaram de fora alguns clássicos como “Desejo e Perigo”, “O Último Tango em Paris”, “Amor”, “Império dos Sentidos”… Ficaram de fora porque são sexy, mas ao mesmo tempo, pesadões e até brochantes… A ideia aqui é despertar sensualidade e leveza após ver o filme. Afinal, chega de tragédia nesse ano, certo?

Busque os títulos no Google Play ou no seu streaming preferido e aproveite!

“De Olhos Bem Fechados”

Foto: Reprodução/IMDb

Tom Cruise e Nicole Kidman acumulavam nove anos de casamento quando rodaram esse filme em 1999. Talvez por isso mesmo, dá para perceber a intimidade entre eles, uma sensação que oscila da química perfeita a uma certa monotonia da rotina (coincidência ou não, separaram-se dois anos depois).

No filme, os dois também vivem um relacionamento perfeito. Mas uma confissão dela o faz perder o rumo. Ao mesmo tempo, essa virada aponta o caminho de uma sensualidade misteriosa, que envolve uma seita bem peculiar, além de bailes de máscaras voyeurs. Puro fetiche! Aliás, a última obra-prima do craque Stanley Kubrick, diretor de 2001, Uma Odisseia no Espaço.

Assista ao trailer aqui.

“E Sua Mãe Também”

Foto: Divulgação

Ai, amo muito esse filme! O mexicano Alfonso Cuarón — que mais tarde ficou famoso ao dirigir “Gravidade e Roma” — fez um road movie sobre dois amigos adolescentes (Diego Luna e Gael García Bernal) que conhecem uma mulher mais velha e sexy (Maribel Verdú) em um casamento. Os moleques querem impressionar a bonitona, convidando para uma viagem a Boca Del Cielo, uma lendária praia secreta. Para a surpresa deles, a musa topa e os três ganham a estrada, que se mostra uma jornada de descobertas sexuais.

Assista ao trailer aqui.

“Os Sonhadores”

Foto: Divulgação

Matthew (o lindo Michael Pitt) é um jovem que, em 1968, vai estudar em Paris. Lá ele conhece os irmãos gêmeos Isabelle (Eva Green) e Theo (Louis Garrel, maravilhoso). Os três logo se tornam amigos, dividindo experiências e relacionamentos, em meio ao cenário turbulento de Paris, em plena revolução estudantil.

“Azul é a Cor Mais Quente”

Cena de “Azul É a Cor Mais Quente” – Foto: Reprodução/IMDb

Pensa num filme lindo… Nos meus 46 anos de idade, nunca vi algo igual! Sou mulher cis, heterossexual, e ainda assim, é impossível não se comover e não embarcar na história de amor (baseada em fatos reais) de Adèle (Adèle Exarchopoulos) e Emma (Léa Seydoux). É um filmão de três horas, com uma cena de sexo explícito de quase dez minutos. Mas isso nem é o principal: um filme intenso e realista, mas com leveza e um final libertador.

“9 ½ Semanas de Amor”

Foto: Reprodução/IMDb

Um clássico do gênero! Elizabeth (Kim Basinger) trabalha em uma galeria de arte em Nova York e conhece por acaso o misterioso John (Mickey Rourke em sua melhor forma). Os dois têm uma conexão imediata e vivem esse romance tórrido pelo prazo estipulado no título. Tem cenas inesquecíveis: striptease, o gelo, o morango… O final é meio brochante, moralista até, mas as cenas quentes são as que permanecem na memória 😉

“Secretária”

Foto: Reprodução/IMDb

Esse filme é a “mãe” de “50 Tons de Cinza”. Depois de passar um tempo em um sanatório, por curtir se autoflagelar, Lee Holloway (Maggie Gyllenhaal) volta para a casa dos pais e tenta dar também a “volta por cima”. Nessa, faz um curso de secretária e consegue emprego com o advogado E. Edward Grey (James Spader é o Sr Grey aqui).

Inicialmente, tudo parece bem normal, até a moça começar a ganhar umas palmadas no bumbum por cada erro de datilografia. Parece um filme pesado, mas na verdade, é uma espécie de “Cinderela” do BDSM. Divertido e romântico 🙂

“Cinquenta Tons de Cinza”

Foto: Divulgação

Ah, vale a pena encarar nem que seja para se deliciar com a cena do avião ao som de Ellie Goulding 😉 Fenômeno editorial sem precedentes, a trilogia “Cinquenta Tons de Cinza” é obrigatória — nem que seja para você achar meio bobinha e falar mal depois rsrs Mas vamos lá: algo que conquistou mais de 40 milhões de “escravos” no mundo todo não pode ser tão ruim assim 😉

Tudo começa com “Cinquenta Tons de Cinza”, quando a bela e tímida Anastasia Steele (Dakota Johnson) se encontra com o jovem empresário bonitão Christian Grey (Jamie Dornan). Ela se apaixona pelo bonitão, que acaba revelando seu lado dominador. Em “Cinquenta Tons Mais Escuros”, a protagonista põe um ponto final no relacionamento e fica entre a paixão avassaladora e a razão. No último, Cinquenta Tons de Liberdade, Anastasia volta para o bonitão e encara o relacionamento delicioso e perigoso.

@anacarolcsoares Jornalista desde 1994, ganhou prêmios e passou por grandes veículos de comunicação, trabalhando como repórter, editora, colunista e PR. É muito feliz também em cursos de tantra, fez mais de dez e até tirou certificado de terapeuta tântrica com Gilson Nakamura em janeiro de 2019, no método Deva Nishok. Dona de cachos assumidos e ama escrever sobre sexo, como a musa Carrie Bradshaw.