Casal se beija – Foto: Arquivo Harper’s Bazaar

Por Ana Carolina Soares

Durante a quarentena decretada pela pandemia do novo coronavírus, entre os meses de maio e junho deste ano, aumentou 18,7% o número de pessoas que moram sozinhas no Brasil. Em dez anos, o número de pessoas que vivem solitárias cresceu de 10,4% para 14,6%. O dado é do IBGE. Agora, os solteiros são o principal grupo na sociedade.

E essa tendência é mundial. O número de pessoas que vivem sozinhas – seja divorciadas, viúvas com filhos adultos e solteiras – está cada vez maior no Brasil e no mundo.

Segundo a pesquisa “10 Principais Tendências Globais de Consumo” realizada pela Euromonitor Internacional, o número de residências com um único morador deve crescer a uma taxa média anual (CAGR) de 1,9% na próxima década. O estudo ainda mostra que, até 2030, a estimativa é que haja um aumento de 120 milhões de residências de uma única pessoa, o que corresponde a um aumento de 30% em relação a 2018.

Lá vem confissão: eu também me separei na pandemia, rs. Foi em outubro, numa boa. Tanto que somente nesta semana tomei coragem de voltar aos apps de encontros, um passo que pós-2020 se tornou equivalente a sair numa sexta à noite para ir a um barzinho “olhar o movimento”.

Recentemente recebi uma pesquisa bem interessante sobre o “Imuni-date”. Sabe qual a cantada mais imbatível e sexy deste verão? Basta dizer “estou com minha vacinação completa”. Ou, melhor ainda, “consegui a dose de reforço”. Para o pessoal solteiro, vale mais do que um sorriso à moda de George Clooney e Scarlett Johansson.

Com a vacinação em alta no Brasil, 8 em cada 10 (82%) solteiros se sentem mais seguros de voltar a sair e conhecer novas pessoas. Uma pesquisa do Inner Circle, app global de relacionamento, que entrevistou mais de 2 mil solteiros no final de novembro, prova que esse será um verão quente.

A pesquisa também mostra que 6 em cada 10 (60%) solteiros só aceitam ir a um encontro se o outro estiver vacinado. Pensando nisso, o app criou o termo “Imuni-date”, o encontro entre duas pessoas completamente vacinadas, que podem deixar a preocupação com a Covid-19 em casa. Adorei o termo!

A vacinação não é tabu para os solteiros: 66% deles falam abertamente sobre estarem vacinados antes de se encontrarem pessoalmente com seus matches e se sentem à vontade de provar que se imunizaram, caso o crush peça a comprovação.

Com 63% da população brasileira totalmente vacinada e 77% com pelo menos a primeira dose da vacina, as expectativas para o verão estão altas. Três quartos (75%) dos entrevistados acreditam que vão flertar mais do que no verão passado, e 36% já foram a algum date nos últimos dias. O aplicativo também viu seu número de membros crescer: 47% dos solteiros que responderam à pesquisa criaram seus perfis recentemente, depois de perceberem que a situação está mais controlada no País, com a maioria da população vacinada, e é seguro voltar a flertar e ir a encontros.

Mais acostumados com as mudanças no nosso comportamento durante a pandemia, dos 73% solteiros que já estão planejando dates para este mês, 56% indicaram que preferem organizar seu “imuni-date” em locais abertos ou não tão cheios, como um bar mais intimista ou um parque. Além disso, 60% disseram que estar vacinado é indispensável para o encontro acontecer.

Por isso, esteja com seu “passaporte da vacinação” em dia. Até mesmo para descolar um date nesse número crescente de pessoal single 😉

Tudo de bom!

@anacarolcsoares é jornalista desde 1994, ganhou prêmios e passou por grandes veículos de comunicação, trabalhando como repórter, editora, colunista e PR. É muito feliz também em cursos de tantra, fez mais de dez e até tirou certificado de terapeuta tântrica com Gilson Nakamura em janeiro de 2019, no método Deva Nishok. Dona de cachos assumidos e ama escrever sobre sexo, como a musa Carrie Bradshaw.