Foto: Arquivo Harper’s Bazaar

Por Ana Carolina Soares

Oba! Vem aí outra desculpa para celebrar o prazer! Neste domingo, dia 6 de setembro, o mundo comemora o Dia do Sexo. A data surgiu em 2008, graças a um fabricante de camisinhas, justamente por conta do trocadilho 6/9.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Quando penso em lugar ideal para fazer sexo, a primeira imagem que vem à minha cabeça é um motel. Você tem preconceito? Melhor rever isso, heim… Nos últimos dez anos, aqueles quartos com cama redonda, abajur cor de carne e o lençol azul (com banheiro cheirando a Pinho Sol), tornaram-se lembranças registradas em hits dos anos 80 e sofrências sertanejas.

Aqui em São Paulo, por exemplo, tem ambientes tão deslumbrantes que dá até tristeza na hora de fazer o check-out.

Em várias partes do País, os motéis seguiram abertos na quarentena, considerados pela lei como locais de abrigo e hospedagem.

Mas se você for pensar, sempre houve distanciamento social nessas casas: a pessoa que recepciona e cobra as diárias normalmente fica atrás de um vidro fumê, mal dá pra ver o rosto e nem ouvir a voz verdadeira, com aquele tom metálico do Darth Vader. Os pedidos se materializam naquela “portinha da esperança”. Você não vê garçom, faxineiros e, vizinhos, só quando rola aquela fila de carros aos sábados na madrugada.

“O faturamento do setor aumentou aproximadamente 75% em relação ao período pré-pandemia”, comemora Felipe Martinez, presidente da Associação Brasileira de Motéis (ABMotéis).

Em comparação ao ano passado – especialmente ao Dia dos Namorados, considerado o “Natal” do ramo – o movimento se manteve. “Ocorreu uma diminuição de mais ou menos 25% por causa da pandemia, porque acabou o movimento dos casais ‘pós-balada’ Mas nosso público sempre foi principalmente os casais”, completa Martinez.

As supersuítes que abrigavam festinhas de chá de lingerie, despedida de solteiro e “baguncinhas” do suingue, por ora, podem ser locadas apenas por casais.

Também por causa do coronavírus, os empresários quiseram redobrar o cuidado com a higiene e os associados chamaram uma organização internacional de certificação, a Bureau Veritas, que criou um protocolo especial no combate ao coronavírus. Uma vez por mês, os fiscais passam por esses locais, para checar os processos de limpeza e desinfecção.

Mas a parte mais bacana desses pontos para celebrar o Dia do Sexo (que na verdade, pode ser todo dia) é um leque com todo tipo de diversão tem se aberto nesses lugares.

Fique de olho em algumas curiosidades:

• Tá frio para encarar a piscina com teto solar? Tem suíte que aposta em lareira.

• Para quem curte uma decoração mais exótica, esse point se inspirou em esportes radicais para criar seus ambientes.

• Enquanto os cinemas seguem fechados, há suítes especiais com poltronas super confortáveis (e sem aquele povo chato que fica comentando o filme ou comendo pipoca de boca aberta). Há uma opção de suíte até com 4D, que recria os movimentos e sensações na tela. E não falo só sobre títulos eróticos, mas sucessos do streaming, como Coringa e Os Vingadores.

• Esse mesmo motel de São Paulo fez uma parceria com o Hannover e serve um dos melhores fondues da cidade na suíte.

• Já esse endereço oferece um Festival da Pizza, Chá da Tarde e Welcome Drink de cortesia, em horários especiais.

• Quem quiser brincar de 50 Tons de Cinza, tem essa suíte com o tema BDSB.

Quer um 6/9 mais animado? Ou um 7/9, 8/9, 9/9…? Sugiro fazer uma busca, uma reserva online para evitar filas e ainda descolar um desconto: https://www.guiademoteis.com.br/sao-paulo

Tudo de bom e divirta-se!

@anacarolcsoares Jornalista desde 1994, ganhou prêmios e passou por grandes veículos de comunicação, trabalhando como repórter, editora, colunista e PR. É muito feliz também em cursos de tantra, fez mais de dez e até tirou certificado de terapeuta tântrica com Gilson Nakamura em janeiro de 2019, no método Deva Nishok. Dona de cachos assumidos e ama escrever sobre sexo, como a musa Carrie Bradshaw 🙂