Ana Carolina Soares – Foto: Divulgação

Jornalista e estudiosa do tantra, Ana Carolina Soares ensina em sua estreia uma meditação sexual usada por personalidades para ganhar energia e vencer obstáculos.

Por Ana Carolina Soares

Você sabia que a energia sexual pode “dar um up” em absolutamente todas as áreas da vida? Pois é, descobri que existe essa “mina de poder” após fazer uma série de matérias sobre o mercado erótico e então me animar a encarar cursos de tantra, em 2017. No ano passado, fiz capacitação como massoterapeuta tântrica, não como um plano B para o jornalismo rsrs, mas para aplicar os princípios no meu dia a dia.

A filosofia milenar indiana rendeu manchetes nos últimos anos, quando adeptos famosos – do cantor Sting ao ator Hugh “Wolverine” Jackman – declararam ter descoberto o caminho para orgasmos ultraintensos e relações sexuais que ultrapassam as oito horas. Sim, é tudo verdade (até podemos falar mais sobre isso nas próximas semanas), mas a prática vai além de um manual para uma maratona sexual: propõe integrar corpo, mente, as outras pessoas e a natureza, sem juízos de valores.

Napoleon Hill, assessor do ex-presidente americano Franklin Roosevelt e um dos pais da autoajuda, percebeu que grandes vultos também eram gigantes na cama e escreveu sobre o assunto no best-seller Quem Pensa Enriquece, de 1937:

“Entre os maiores, os mais poderosos estímulos, está o impulso sexual. Quando dominada e transmutada, essa força arrasadora é capaz de elevar os homens à esfera mais alta do pensamento, que lhes possibilita vencer as fontes de preocupações e aborrecimentos triviais, que lhes cobrem o caminho”.

Na sequência, Hill cita alguns nomes que se fartaram dessa fonte, como o autor William Shakespeare, o primeiro presidente dos Estados Unidos, George Washington, e o tenor Enrico Caruso. O autor direciona a obra a homens de negócios, o que dá uma certa irritação, mas é compreensível, afinal, as mulheres ainda não tinham queimado sutiãs na década de 1930…

Conversei sobre o poder do sexo com a terapeuta tântrica Paula Fernanda. Aos 58 anos, ela é um dos principais nomes do tantra no Brasil, estuda diversos procedimentos holísticos desde a adolescência e, em 2008, desenvolveu dois trabalhos bem interessantes sobre a energia sexual. Vamos começar pelo coach de masturbação, indicado para quem tem problemas nessa área.

“Por causa da educação, restrições, traumas ou tabus, muita gente perde sua identidade sexual, algo próprio, único, como uma impressão digital”, ela acredita. Sem esse autoconhecimento, a pessoa pode perder o prazer “na hora H” e não consegue liberar quantidades suficientes de dopamina e ocitocina.

Apelidados pelos médicos de os “hormônios da felicidade”, essas substâncias são liberadas durante o orgasmo e têm o poder de aumentar as sensações de bem-estar, além de diminuir estresse, ansiedade e melhorar quadros depressivos. A sessão de coach dura mais ou menos uma hora e custa R$ 300. Primeiro, a pessoa conversa com a terapeuta, depois se toca enquanto a profissional observa (sem julgamentos), e, no final, os dois voltam a conversar, como uma sessão de análise. Paula recomenda em média oito encontros para curar disfunções e, nesses tempos de distanciamento social, dá para fazer tudo isso via Skype.

Mas a melhor descoberta foi a meditação do autotoque amoroso, algo que todo mundo deveria fazer pelo menos uma vez 🙂 Segundo Paula, até chefes de estado praticavam esse mix de prece e masturbação para levar pujança para outras áreas da vida. Reis e rainhas faziam o ritual até mesmo antes de enfrentar guerras. “Por causa de preconceitos e tabus, muita gente se esquece de que a energia sexual é a força motriz da vida”, diz.

Funciona assim: primeiro, prepare seu quarto. Pode ser com uma vela aromática, um incenso, use sua melhor roupa de cama, coloque aquela playlist especial, tudo para você, afinal, você é o melhor date possível 🙂 Fique alguns minutos em silêncio e, na sequência, visualize sua intenção, seu objetivo. Pode ser qualquer um: saúde, felicidade, amor, prosperidade… Depois, relaxe e comece a se tocar, explorando cada centímetro seu com curiosidade e amorosidade. Deixe os genitais para o final, depois de pelo menos meia hora explorando outros pontos. Ao atingir o orgasmo, deixe fluir, expanda o corpo, procure não se contrair ou se reprimir. E, caso se lembre, volte a visualizar a sua intenção nessa “hora H”. Caso esqueça, beleza, tá tudo certo também (ficar o tempo todo pensando no goal pode quebrar o clima e estragar a meditação). Finalmente, fique um tempo ainda respirando, prestando atenção às sensações nos genitais e no coração. No total, o ritual leva entre 40 minutos e uma hora.

Bem, se isso funcionava para ganhar guerras, pode no mínimo dar uma alegrada nesses nossos tempos de coronavírus, né?

Caso queira mais detalhes, a Paula Fernanda fez dois vídeos com mais detalhes, nos links abaixo.

Divirta-se e se cuide!

Ana Carolina Soares

@anacarolcsoares Jornalista desde 1994, ganhou prêmios e passou por grandes veículos de comunicação, trabalhando como repórter, editora, colunista e PR. É muito feliz também em cursos de tantra, fez mais de dez e até tirou certificado de terapeuta tântrica com Gilson Nakamura em janeiro de 2019, no método Deva Nishok. Dona de cachos assumidos, ama escrever sobre sexo e tem como musa Carrie Bradshaw.