Foto: Reprodução/Instagram/@colanavillar

Foi de maneira despretensiosa que Ana Paula Villar descobriu o que iria mudar a sua vida: se tornar manicure. Mãe de dois filhos e moradora de Rocha Miranda, Zona Norte do Rio, Ana Paula trabalhava em um escritório de contabilidade e, para complementar sua renda, vendia hambúrguer em um trailer e oferecia serviço de bufê.

Um dia, quando teve ajuda de uma amiga para fazer massas das coxinhas que vendia, ela quis retribuir o gesto e fez suas unhas. E foi aí que tudo mudou: no dia seguinte toda vizinhança já queria ser atendida por ela. Hoje, aos 44 anos, Ana é uma manicure muito popular, conquistando 1 milhão de seguidores 5 anos de canal no Youtube e quase 400 mil no Instagram.

Além de sua força na internet, a empresária tem um ateliê para atendimento no Rio de Janeiro, onde oferece todos os serviços da área e atende sozinha com horários concorridíssimos e viaja o Brasil e o exterior ministrando cursos e congressos.

“São anos de muito trabalho, muito choro, um cansaço sem fim, e muitas dificuldades que tive que enfrentar. A sensação é de realização, mas com a certeza de que minha missão ainda não chegou ao fim. É uma mistura de alegria, orgulho da minha profissão e de vitória.Essa marca é muito sonhada por todos os criadores de conteúdo em geral e tenho a certeza que ajudei a dar uma cara nova ao nicho das manicures. É uma vitória minha e de toda a ‘manicurada’ que sofre junto comigo diariamente com a desvalorização do mercado. Estamos crescendo cada vez mais e sei que alcançaremos o que desejamos e merecemos”, conta.

Trajetória

Como em quase tudo na vida, a trajetória até aqui não foi fácil. Além das dificuldades que toda profissão requer, Ana Paulo teve que superar situações de preconceito, discriminação e descaso: “Infelizmente vivemos em uma realidade onde sempre vai haver gente que se acha melhor que os outros. Me orgulho muito de carregar essa bandeira que tem o sinônimo de representatividade. Sou negra, de origem humilde, filha de empregada doméstica, mãe solteira, gorda e me orgulho muito de quem eu sou”, resume.

“Mas, muitas vezes quando estou em lugares nobres, percebo nos olhares e cochichos a expressão: ‘Quem é ela?’,’Ela é famosa?’. Algumas pessoas ainda fingem que não me veem ou só se aproximam porque fuxicaram minhas redes sociais e viram que tenho números bons. Isso entristece, mas aí lembro que se estou ali, foi porque mereci, porque conquistei condições de estar e assim vou vivendo”, desabafa.

Falência

Foto: Reprodução/Instagram/@colanavillar

A empresária, que chegou a falir e teve que recomeçar do zero, conta que sofreu descaso também por parte de marcas e profissionais, que faziam contratos abusivos ou duvidavam de sua capacidade: “Reprovavam o meu jeito espontâneo de ser, de falar, de vestir, e isso foi muito triste. As pessoas em volta não acreditam que vai dar certo, sofri com a exploração de marcas e pessoas que se aproveitaram do simples fato de sermos pobres, talentosos e sonhadores. Mas, em contrapartida, foi incrível receber a aceitação do público, que às vezes nem era da área. Quebrei tabus literalmente e mostrei que não precisava fazer a ‘bonitinha’, para mostrar a grande profissional que sou. Fui dia a dia derrubando essas barreiras e conquistando meu espaço.”

Comemoração

Para celebrar a conquista, Ana Paula e sua equipe lançam, no dia 27 de julho, um sorteio no Instagram da empresária, em que os participantes vão concorrer a vários produtos do segmento.

O resultado desta ação será divulgado no dia 10 de agosto, em uma live especial no canal da expert no Youtube. o evento ao vivo terá um caráter de solidariedade: o público e parceiros poderão doar donativos que serão doados a Casa Crescendo, uma instituição que ajuda crianças carentes.