Bahl – Foto: Bruno Coutrino/Divulgação

Por Pedro Henrique Lima

Bazaar foi conhecer o Bahl, um novo restaurante de Ipanema. Ele fica no local onde era o famoso restaurante Paris 6. A temática do restaurante é muito interessante, pois ele remete aos balneários europeus, tanto que o nome do restaurante, Bahl, vem de balneário, e por isso que o símbolo do restaurante são várias ondas.

Logo que chegamos ao restaurante, as mesas estavam quase todas vazias, mas, não tardou muito, em aproximadamente 40 minutos, as mesas já estavam quase todas cheias, o que mostra que é um restaurante muito bem frequentado.

Bahl – Foto: Bruno Coutrino/Divulgação

O ambiente é muito aconchegante e o restaurante é bem grande. No meio dele, há uma adega transparente, que possui um ambiente climatizado, deixando os vinhos em uma temperatura adequada para serem servidos.

Logo após sentarmos na mesa, o garçom veio nos atender e nós conferimos o cardápio, através de um QR code localizado na mesa. Havia uma variedade grande de drinques, pelo menos uns 20 tipos diferentes. Optamos pelo drinque da casa, que foi, inclusive recomendação do garçom que nos atendeu, e não nos arrependemos, pois era um drinque excelente.

O nome do drinque era Bahl, e ele leva como principais ingredientes o gin, licor curaçau e espuma de gengibre também. Para os amantes de gengibre, como eu, esse drinque é excelente, pois tem bastante espuma de gengibre, o que dá um sabor inigualável. Minha única ressalva é que eu acho que deviam distribuir descansos de copo para colocar os drinques, pois a mesa ficou toda molhada no local onde colocamos as taças.

Carpaccio de Polvo – Foto: Divulgação

Após os drinques, chegou a hora da degustação. Inicialmente, foram servidos para nós entradas e pratos frios, sendo muita coisa da culinária japonesa, que é uma das especialidades do restaurante. O primeiro prato a ser servido para nós foi o carpaccio de polvo. Eu achei um prato muito bom, pois eu não sou muito fã de polvo, já que não gosto muito de sua consistência. Como era cortado bem fininho, ficou semelhante a um sashimi de peixe branco, e o tempero utilizado também era bem gostoso. Foi um bom prato para iniciar a degustação.

Logo após o carpaccio de polvo, vieram duas porções de makimonos, uma de Uramaki Spicy Tuna, que consistia em sushis envoltos em alga com atum e pimenta e era muito saboroso, principalmente para mim e minha esposa, que gostamos de comidas mais apimentadas. A outra porção era de Uramaki Salmão, que consistia no sushi com a alga enrolada por dentro e um pedaço de salmão no meio. Também é um makimono saboroso, o que mostra que a culinária japonesa é um dos fortes do restaurante.

Bombons de cordeiro – Foto: Divulgação

Junto também a essas porções de makimonos veio também um dos meus pratos preferidos da degustação: os bombons de cordeiro. Consiste em paleta de cordeiro, formando uma casquinha, como se fosse um bombom Sonho de Valsa ou Serenata de amor, com um pouco de geléia de damasco por cima. Era simplesmente sensacional, pois os bombons eram extremamente crocantes e a carne de cordeiro estava muito saborosa e não estava muito seco. Crocante por fora e suculento por dentro.

Sashimis no gelo – Foto: Reprodução/Instagram/@bahlrestaurante

Após essas primeiras etapas da degustação, veio um dos pratos mais bonitos do cardápio, que é o Sashimis Sugestão do Chef, que consistia em fatias de sashimi em no gelo. É um prato muito interessante, pois remete um pouco a cozinha molecular, pois é bem diferente de qualquer prato que já comi antes, pois o garçom colocou gelo seco em um buraco que ficava no meio do prato, formando um monte de fumaça.

Nesse prato, vinham 20 fatias de sashimis variados e selecionados, sendo 5 porções de 4 sashimis cada. Como era muito variado eu me recordo que eram 4 de peixe branco com ervas, 4 de vieiras com ovas, 4 de atum com ovas, 4 de polvo ao pesto e 4 de atum spicy. É uma explosão de sabores diferentes e um prato muito interessante. Observei, inclusive, que o prato é um dos carros-chefe da casa, já que muitas pessoas pediam esse prato.

Após todos esses pratos, nossos drinques acabaram e nós pedimos novos drinques. Um deles era o Hell de Janeiro, que era um drinque vermelho, consistindo de vodka, frutas vermelhas, geléia de pimenta e pimenta dedo-de-moça. E o outro drinque era o Saint Tropez, que consistia de tequila, morango, tangerina e açúcar de pimenta. Ambos muito bons e refrescantes.

Tartare de Salmão – Foto: Reprodução/Instagram/@bahlrestaurante

Logo após pedirmos os drinques, fomos contemplados com uma porção de Tartare de Salmão com pasta de Ovas de Capelin. Achei muito boa, especialmente porque nunca havia comido Tartare anteriormente. Essa porção ainda acompanhava Nori Chips, que eram como se fossem chips de algas, e nelas você colocava o tartare dentro e depois comia. Achei muito gostoso, pois adoro esses pratos que consistem em algo crocante, como nachos e chips, em que você coloca em algum molho ou pasta.

Stinco de Vitelo – Foto: Reprodução/Instagram/@bahlrestaurante

Após o tartare vieram dois pratos quentes. Um deles era o Stinco de Vitelo com ervas. Stinco é a canela do vitelo, que é o novilho jovem. Era um prato muito saboroso, pois você conseguia facilmente retirar a carne do osso. Esse prato acompanhava Mousseline com crisps de batata baroa e mix de coogumelos trufados. Apesar do prato ser bastante saboroso, achei que faltou um pouco de sal na carne. Mas isso é apenas uma pequena observação.

O outro prato era o Atum em crosta de Pistache com legumes ao estilo oriental e picles de wakame (um tipo de alga marinha). Esse atum vinha do jeito selado, que é quando ele fica cru por dentro e cozido por fora. Eu, particularmente, gosto muito de atum e salmão selado, acho que traz o melhor do sabor de ambos os peixes, pois atrai tanto quem gosta muito de sashimi quanto quem gosta de peixe mais cozido. Além disso, os legumes estavam muito bem temperados e gostosos e o picles de wakame trouxe um sabor diferente e mais agridoce ao prato.

Textura de Pistache – Foto: Reprodução/Instagram/@bahlrestaurante

E, para finalizar essa degustação maravilhosa, chegaram as sobremesas. Que deleite!! A primeira era chamada Texturas de Pistache e consistia em creme de pistache, crumble, que são nozes e casquinhas, calda de laranja e azeite de aroeira. Simplesmente sensacional, e uma das melhores sobremesas que já comi, pois adoro sorvete de pistache e o sorvete tinha um sabor bem natural e caseiro de pistache, o que deixou o sorvete muito saboroso.

A segunda sobremesa era um mousse de graviola, em que haviam duas bolas pequenas de sorvete e alguns pedaços de abacaxi e também o mousse de graviola no meio. Apesar de não ser tão boa quanto o sorvete de pistache, era bem interessante e com diversas texturas diferentes como as do abacaxi e do mousse, que tinha um sabor azedinho e bem gostoso. Uma sobremesa muito refrescante.

Em suma, o restaurante é muito bom e extremamente acolhedor e aconchegante. O serviço é excelente, as comidas são muito saborosas e o atendimento não deixa a desejar. É um restaurante que eu, sem dúvidas, voltaria mais vezes para poder experimentar outros pratos do cardápio, que é bastante diverso. Então, resumindo, eu recomendo esse restaurante para quem for visitar a cidade do Rio de Janeiro, em particular, o bairro de Ipanema.

Bahal: Aníbal de Mendonça, 112, Ipanema. Tel. (21) 3986-8118. Horário de funcionamento: das 12h às 17h