Camiseta bordado, Louis Vuitton; e hot pants, Morena Rosa - Foto: Gui Paganini/reprodução/Harper's Bazaar
Camiseta bordado, Louis Vuitton; e hot pants, Morena Rosa – Foto: Gui Paganini/reprodução/Harper’s Bazaar

Por Sylvain Justum

Aos 30 anos, Isabelli Fontana segue como legítima representante de uma safra abençoada de top models brasileiras, cujo estilo versátil e o profissionalismo à toda prova sustentam uma carreira de longevidade aparentemente sem limites.

“Ícone da indústria”, segundo o Models.com, deve aos lábios carnudos e ao olhar felino – além do corpo milimetricamente esculpido, mesmo depois de uma dupla maternidade – a construção da imagem de bombshell que a acompanha em passarelas nos quatro cantos do planeta, campanhas para as maiores grifes de luxo do mundo e, claro, capas e editoriais para as melhores revistas, como os que você confere nesta edição de Bazaar. Mas, veja você, Isabelli não se acha sexy.

Á esquerda, Isabelli usa Colete jeans bordado, da Ellus; e saia de couro com verniz, da LomaZ. À direita, trench coat, da Burberry; e colar, da Lanvin - Foto: Gui Paganini/reprodução/Harper's Bazaar
Á esquerda, Isabelli usa Colete jeans bordado, da Ellus; e saia de couro com verniz, da LomaZ. À direita, trench coat, da Burberry; e colar, da Lanvin – Foto: Gui Paganini/reprodução/Harper’s Bazaar

“Não sou uma mulher sexy; sou tão largada que as pessoas ficam boquiabertas. Essa, sim, é minha marca registrada na intimidade”, conta para Bazaar. “Eu me sinto atuando quando trabalho, acho que é por isso que consigo transmitir essa imagem por aí, seja em desfiles ou fotos”, analisa.

Um tanto de modéstia, outro tanto de verdade. Isabelli não conhece o significado da palavra afetação fora de seu ambiente de trabalho. A curitibana é pé no chão, do tipo que gosta de coisas simples. E de se dedicar à família. Tanto que foi logo construindo a sua. Foi mãe de Zion aos 20 anos; Lucas veio três anos depois. Seu maior luxo é estar em paz. Mais dressed down, impossível.

Vestido de seda, Prada - Foto: Gui Paganini/reprodução/Harper's Bazaar
Vestido de seda, Prada – Foto: Gui Paganini/reprodução/Harper’s Bazaar

Amante da natureza, a top não dispensa um banho de mar – no Caribe, de preferência – para recarregar as energias, e é para alguma praia pouco badalada que ela pretende fugir durante a Copa do Mundo.

“O Brasil vai estar uma loucura, quero ficar quietinha. Mas vou me obrigar a ver um jogo, ao menos. Não posso perder esse momento único em nosso País!”, diz a adepta de vôlei e de corrida. Em 2002, ano do penta, Isabelli tinha 19 anos. Ficou tão feliz com a conquista que tomou seu primeiro pileque para comemorar. Se o Brasil vai levantar o caneco, não sabemos, mas nossa top da capa já é vitoriosa. Com um troféu desses, quem precisa de hexa?

Veja mais:
Edição canarinho: Isabelli Fontana na Bazaar de junho!