Paula Alho Junqueira com a égua Cordélia, na Hípica Paulista - Foto: Carol Barrionuevo/Harper's Bazaar
Paula Alho Junqueira com a égua Cordélia, na Hípica Paulista – Foto: Carol Barrionuevo/Harper’s Bazaar

Por Victoria Ranieri

Paula Alho Junqueira participou neste domingo (30.11) da prova especial da Harper’s Bazaar Brasil no Classic Horse show, evento que movimenta da Hípica Paulista com uma série de competições. A nossa participação foi animadíssima e, para o circuito, as amazonas Bazaar vestiram fantasias!

Batemos um papo com a expert, vencedora do quesito técnico da competição da revista. Ela teve o melhor tempo e zerou a pista, ou seja, não derrubou nenhum obstáculo. Confira:

Harper’s Bazaar – Quando você começou a montar?
Paula Alho Junqueira – Eu comecei a montar com quatro anos, fazem 25 anos que monto!

HB – Quando você começou já sabia que queria salto?
Paula Alho Junqueira – Eu sempre fui apaixonada pelo cavalo. Eu sou mais do cavalo do que o esporte em si. Acho o cavalo maravilhoso. Dentro dos esportes que envolvem cavalos eu já fiz alguns, mas o esporte que eu gosto disparado, que eu me encontrei mesmo, foi o salto.

HB – Quais outros esportes você já praticou?
Paula Alho Junqueira – Já fiz tambor, baliza e salto.

HB – Quais competições você já participou?
Paula Alho Junqueira – Já participei de provas fora do Brasil, treinando com o Nelson Pessoa, na Bélgica.

HB – Você tem quantos cavalos?
Paula Alho Junqueira – Meus eu tenho sete. Mas estou com alguns de clientes que eu monto para ensinar.

HB – Quais são seus planos para o futuro no esporte?
Paula Alho Junqueira – Eu tenho uma hípica em Londrina (PR), a Força Livre, e eu dou aula para crianças e adultos, além de treinar cavalos. Eu monto profissionalmente também.

HB – Você tem algum cuidado especial com moda e beleza ao enfrentar uma prova?
Paula Alho Junqueira – Eu não sou uma pessoa muito vaidosa, vou ser sincera… Mas, ao mesmo tempo, as vezes acordo e digo ‘hoje eu vou me arrumar’. Daí eu me arrumo bastante. Só que, normalmente, estou de cara lavada (risos).

HB – Quais dicas você daria para quem está interessado em começar a montar?
Paula Alho Junqueira – O ideal é fazer várias aulas de todas as modalidades para conhecer, assistir competições e descobrir onde ela vai se encontrar. Mas eu vou sempre ‘puxar sardinha’ para o salto, que é o que eu amo.

HB – E o que você diz sobre o perigo que envolve o esporte?
Paula Alho Junqueira – Cair acontece. Precisa se acostumar, aprender a cair. Em 25 anos eu vi pouquíssimas pessoas caindo e realmente se machucando. A pessoa tem de aprender a lidar com o psicológico na hora de cair. O susto é maior que o perigo. É muito difícil de machucar.

Veja mais:
Adriana Feffer Skaf: rédeas de ouro por trás do Classic Horse Show