Por Camila Salek

Hoje quero falar sobre o pensamento crítico. Vejo cada vez mais profissionais, dos mais diversos segmentos, com muita dificuldade de se posicionar e lidar com críticas. Para mim, isso reflete uma geração imediatista, que se aprofunda pouco e se atualiza em relação ao mundo através de manchetes.

Uma crítica bem-feita tem a força nos tirar da zona de conforto, o que é primordial para nossa evolução. Criticas nos provocam a desafiar nossa rotina gerando mudanças e transformações. Um novo status quo. Evolução pura. Mas se receber critica já é difícil, saber criticar é mais difícil ainda. Fiz um curso mês passado que me pegou de jeito e me deixou muito tempo refletindo sobre o poder da critica. O desenvolvimento do olhar critico passa por questionar fatos e ideias ao mesmo tempo que busca argumentos e evidências para provocar próximos passos. No mundo dos negócios de moda, profissionais e marcas vem sendo cada vez mais questionados para se posicionarem sobre os mais diversos assuntos e o que se vê são inúmeras atitudes de voz lacradora, que geram um super buzz, mas que estão vazias por dentro. Dificilmente passam da página da adjetivação e entram em modo crítico.

Como dizia o filosofo americano do século XIX Elbert Hubbard: “Para evitar críticas, não faça nada, não diga nada e não seja nada.”. Frase super atual para o nosso momento onde absolutamente tudo é alvo de critica e somos provocados a nos expressar criticamente a todo instante!

Foto: Divulgação

O primeiro passo para aprender a lidar com uma crítica, é compreender o que ela significa. Muitos de nós entendemos que adjetivos são criticas e é importante deixar claro que “adjetivar” é completamente diferente de “criticar”. Os adjetivos são muito mais voltados às manchetes, às chamadas de atenção (lindo, maravilhoso, cool, style, péssimo, ruim). Ao escolher adjetivos para se referir a um determinado assunto, estamos assumindo uma posição mais rasa e mais superficial sobre o tópico em questão. A crítica real mesmo é voltada ao conteúdo e não à manchete, portanto muito mais estratégica e questionadora.

A critica faz parte do diálogo civilizado e é um excelente instrumento para nossa vida pessoal e profissional. Saber lidar com a critica e aprender a argumentar criticamente será tão importante no futuro que seu estudo já faz parte da grade curricular das escolas mais inovadoras no mundo.

Resolvi compartilhar algumas dicas que tenho colhido nos últimos meses para o desenvolvimento do olhar critico:

– Identifique aspectos positivos e negativos e foque sua construção critica neles;

– Mergulhe em assuntos do seu interesse com mais profundidade, este é um ótimo passo para aumentar sua capacidade critica;

– Siga/acompanhe pessoas que pensem diferente de você;

– Eleja assuntos sobre os quais você pretende passar do modo manchete para o modo critica, não dá pra dar opinião sobre tudo;

– Tenha um caderno para colocar no papel pensamentos críticos que abrem seu olhar;

– Revise agora suas fontes de referência e captação de informação. Adicione SEMPRE novos nomes.

Não sei se existe uma fórmula, mas aprendi que os chamados “agentes transformadores de mudanças” provocam e são provocados criticamente para movimentarem a essência de suas comunidades, da sociedade e do mundo.

Fica aqui esta reflexão e o reforço de que todos podemos ser agentes transformadores de mudanças. Pequenas ou grandes. Com estudo, experiência e autoconhecimento você passa a ter bagagem para desenvolver sua argumentação e discurso critico de forma imbatível! Se foque nisso e deixe o resto pra lá. Estou bem cansada de manchetes lacradoras e louca pra ver posicionamentos mais profundos.

Foto: Divulgação