Carolina Andraus - A importância de experiências de reconexão e autocuidado
Foto: Acervo pessoal

Por Carolina Andraus

Quando a vida exige que tenhamos uma performance de longa duração, e sabemos que o momento que o mundo está passando tem pedido essa resiliência de todos nós, precisamos reforçar nosso autocuidado e nos permitir tirar um tempo para nós mesmos.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Nós mulheres, em especial, feministas ou não, casadas ou não, mães ou não, temos naturalmente uma sobrecarga inerente da condição feminina. Sentimos em múltiplas formas e de maneira mais intensa, temos oscilações hormonais que nos desafiam constantemente, e assumimos cada vez mais responsabilidades sem ter conseguido, ainda, redistribuir as funções tipicamente femininas.

Pensando em reequilibrar a força dessa energia feminina, a coach de autoconhecimento Vanessa Kryss desenvolveu um programa exclusivo para mulheres, buscando proporcionar um tempo de cura, onde uma série de atividades foi pensada para aumentar a frequência e a reconexão com essa força.

Em um cenário dos sonhos, cercada de natureza, árvores grandiosas, uma represa deslumbrante ladeada por uma mata nativa e muito ar puro, Vanessa recebe pequenos grupos, obviamente todos testados para COVID, de mulheres buscando reconexão e um tempo de recuperação, para recarregar as energias.

Durante esse fim de semana mágico, passamos três dias em total desconexão com o mundo, longe dos telefones, imersas em meditações, aulas de ioga, atividades com argila, caminhadas na natureza, e com uma deliciosa comilança orgânica que Vanessa desenvolveu pessoalmente, em cada detalhe.

As noites, que, como todo o programa, são obrigatoriamente sem álcool, parecem um desafio, já que o clima seria perfeito para um vinhozinho vendo as estrelas, sentadas ao redor da linda fogueira que Vanessa acende no gramado em frente a casa. Mas quando nos sentamos, nessa roda, e começamos a fazer uma profunda troca pela conversa em grupo, de forma livre e muito leve, nos lembramos da força desse coletivo, onde aprendemos, ensinamos e nos vemos muitas vezes na mesma situação que outras mulheres. Entendemos, em volta do fogo e olhando as estrelas, quanto precisamos trocar e nos encontrar no coletivo, no feminino.

Percebemos também, de forma muito clara, que pequenos rituais de autocuidado são muito importantes nas nossas rotinas do dia a dia, e que precisamos abrir espaço para fazer pequenos gestos para nos reconectar com essas memórias de força. Por exemplo, quando acendemos um incenso e paramos alguns minutos para meditar, ou simplesmente para fazer uma oração, ou até ficar em silêncio, estamos contribuindo para uma elevação de frequência vibracional – não apenas pessoal, mas também das nossas casas.

Os pequenos grupos que Vanessa tem recebido na intimidade da sua fazenda, lugar onde ela não só passa grande parte do seu tempo com sua família, mas também recebe seus amigos e usa como seu refúgio pessoal, é o resultado de um ato de muito amor ao trabalho de suporte de autoconhecimento que ela passou a fazer nos últimos anos como coach, no qual combina nutrição integrativa, com autoconhecimento, autocuidado e espiritualidade através de cuidados com a alma. Assim, Vanessa busca oferecer um cuidado holístico para fortalecer mulheres.

Essa missão de vida, que transformou Vanessa e colocou-a no caminho de ajudar outras mulheres, tem acontecido através de uma profunda transformação pessoal da própria Vanessa. E o retiro, que começou para apoiar mulheres e amigas que estavam esgotadas com a intensidade dos home office e home schooling da pandemia, chega a sua 6ª edição, deixando um caminho de restauração profunda em todas que tivemos o privilégio de participar.

Nesses encontros, reorganizamos nossas forças e nos reabastecemos, voltando para nossos lares com essa cura. A transformação do trabalho em grupo, transmutando, curando e depositando essa energia no campo quântico de transformação, acontece de forma potencializada no coletivo. Afinal, nós seres humanos precisamos dessa imersão social para nos reabastecermos, o que já foi comprovado por diversas pesquisas pelo mundo.

Quando entendemos a importância do nosso constante crescimento, e principalmente que precisamos ter o nosso “me time”, onde nos permitimos nos afastar um pouco de tudo e todos e sermos apenas nós mesmas, mulheres, na primeira pessoa, passamos então a receber o presente de entrar no nosso próprio centro quântico de cura.

Cuidarmos de nós em primeiro lugar não é um ato de egoísmo, mas, sim, de inteligência, pois apenas quando somos gentis conosco, especialmente com o nosso feminino, e nos permitimos desacelerar e simplesmente ser, é que voltamos para as nossas vidas com toda a força, luz e amor necessários para cuidar de todos a nossa volta. Cuidar-se na verdade é também um servir ao mundo e às pessoas que amamos a nossa melhor versão.

Carolina Andraus é formada pela FGV, ex-mercado financeiro, empreendedora, desenvolveu e vendeu diversas empresas no mercado imobiliário. Globetrotter e cidadã do mundo, já morou em Londres, Paris, Nova Iorque, Boston, Istambul e Frankfurt. Recentemente voltou a estudar na Harvard Business School e passou a escrever sobre mulheres inspiradoras, comportamento, e viagens.