Tricô Celine por Hedi Slimane, meia calça Falke, brincos e pulseira (direita) Yvan Tufenkjian e pulseira (esquerda) Le Vian – Foto: Gray Sorrenti, com direção criativa de Jen Brill

Por Carolina Andraus

Há exatamente um ano o mundo virou, literalmente, de ponta-cabeça. Tudo o que acreditávamos e conhecíamos como verdade passou a ser violentamente questionado. Fomos forçados a uma grande transformação nas nossas rotinas, estilos de vida e prioridades. Vivemos com um profundo questionamento e grande insegurança e, um ano depois, progredimos muito pouco.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Nesse tempo, o que você construiu, internamente, para conseguir atravessar esse longo desafio com equilíbrio e força? Já temos vacina, sim, porém, com a velocidade que estamos sendo vacinados, precisamos nos preparar para continuar vivendo com resiliência e sabedoria. E realmente voltar com nosso self-care para mantermos nossa saúde física.

Freud dizia que os pilares da felicidade são a beleza, a organização e a limpeza, e o que parece ser uma análise um tanto simplista, na verdade tem muita profundidade. Quando encontramos essa tríade temos uma sensação de estabilidade, de segurança e de proteção. Em tempos de Covid-19, organização e limpeza são a base das nossas novas rotinas, onde temos que estar sempre atentos, usando máscaras limpas, tomando cuidado com excesso de descarte e na forma como guardamos as máscaras, em bolsos, bolsas, bancos de carros, para nos protegermos da nossa falta de organização.

Transtornos obsessivos de limpeza são o novo benchmark de educação e boas maneiras, em um mundo em que lavar as mãos repetidamente, atenção com os lugares onde colocamos nossas mãos e o hábito de tirar os sapatos antes de entrar em casa, entre outros, são muito bem-vindos e apreciados. É tempo de sermos mais disciplinados nos pequenos detalhes, para conseguirmos voltar a ter as nossas tão preciosas liberdades.

Quando pensamos na vida real, a primeira coisa que precisamos ter para garantir esses três pilares é uma certa estabilidade financeira. E, por isso, precisamos mais do que nunca formar uma rede de segurança, apoiar e pedir apoio, coletivamente, para nos ajudarmos, dentro do possível, com nossos negócios, casas, famílias e amigos. É tempo de olharmos as nossas voltas com compaixão e, se estivermos em posição, servir ao próximo. E sermos disciplinados o bastante para evitar que o lockdown continue se repetindo, porque todos nós somos, sim, corresponsáveis quando acreditamos que podemos relaxar socialmente.

A espiritualidade é outro pilar que, na minha opinião, não pode faltar. A força que vem da conexão espiritual, de buscar inspiração e ser guiado por uma inteligência maior, buscar e ter a certeza de estar sob uma proteção sobrenatural nos dá o poder de atravessar os grandes desafios com suavidade, além de nos inspirar a ser fortaleza para as pessoas à nossa volta. Fortalecendo a nossa luz interior, somos potencializados em uma vida com pequenos milagres todos os dias. Acredite você ou não em milagres, eu te convido a provar dessa insuperável forma de se viver.

A fé também nos dá um grande conforto, que vem do entendimento de que estamos sempre no melhor caminho para o nosso crescimento e aprendizado pessoais, e que existe um amor universal que supera nossas pequenas angústias diárias. Existe um sentido muito maior do que nossas mentes conseguem compreender. E com isso, conseguimos ter a grande entrega de seguir em frente com força e coragem, e viver fazendo as melhores escolhas possíveis, dentro das nossas limitações e falhas. Tentamos entender menos, nos questionamos menos, aceitamos as limitações que o mundo está passando coletivamente, e nos voltamos para dentro de nós mesmos, aproveitando a oportunidade para nosso crescimento interior. Porque a nossa jornada é de crescimento constante, apenas com o crescimento somos capazes de metabolizar a vida e solidificar nossos pilares, e assim passar por mais um lockdown com uma certa dose de felicidade.

Carolina Andraus é formada pela FGV, ex-mercado financeiro, empreendedora, desenvolveu e vendeu diversas empresas no mercado imobiliário. Globetrotter e cidadã do mundo, já morou em Londres, Paris, Nova Iorque, Boston, Istambul e Frankfurt. Recentemente voltou a estudar na Harvard Business School e passou a escrever sobre mulheres inspiradoras, comportamento, e viagens.