Jeanne Lanvin - Foto: Getty Images
Jeanne Lanvin – Foto: Getty Images

No dia 1º de janeiro de 1867 nascia a grande dama da moda Mademoiselle Jeanne Lanvin, em Paris, na França. Ela começou sua carreira como aprendiz em 1885, antes de abrir sua própria loja de chapelaria, quatro anos depois.

Em 1893, ela adquiriu as instalações que se tornariam a casa de sua maison, na 22 Rue du Faubourg-Saint-Honoré. Neste mesmo ano, ela deu à luz sua única filha Marguerite.

Inspirada pelos requintados conjuntos que ela desenhou para a sua filha mais nova, e acompanhada da crescente demanda por moda feminina de seus clientes, não demorou muito até que Jeanne Lanvin voltasse sua atenção para a costura. Em 1909, abriu uma loja de roupas e se juntou ao sindicato de alta-costura.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Jeanne Lanvin - Foto: Getty Images
Jeanne Lanvin – Foto: Getty Images

Nos anos 20 ela entrou na moda masculina e sua cor favorita era azul Quattrocento. Há também o icônico logotipo da Lanvin, projetado por Paul Iribe, que apresenta mãe e filha em um abraço carinhoso.

Veja cinco curiosidades sobre esta mulher genial:

Ela liderou o mundo empresarial como mulher
Criando sua primeira loja aos 21 anos, empregando 1.200 pessoas em 1920, e trabalhando até a sua morte, em 1946, Jeanne Lanvin é uma inspiração para as mulheres até hoje.

Ela era multi-tarefas
Armada com um batalhão de bordadeiras, costureiras e alfaiates, Jeanne Lanvin conseguiu construir uma das maiores e mais modernas casas de moda do mundo. Ela expandiu seus produtos para além de roupas sob medida, diversificando em cosméticos – como o perfume Arpége que ela deu a Marguerite em seu aniversário de 13 anos – e, é claro, roupas de noiva, lingerie, roupas esportivas, meias e peles.

Jeanne Lanvin fez  história com o modelo de vestido chamado Robe de Style - Foto: Getty Images
Jeanne Lanvin fez história com o modelo de vestido chamado Robe de Style – Foto: Getty Images

Ela inventou o modelo de quatro temporadas
Temporadas de moda não são um fenômeno moderno. Na verdade, elas remontam ao início do século 20, com Jeanne Lanvin sendo uma das primeiras designers do mundo a fazer quatro coleções por ano, com mais de 200 looks por temporada.

Ela viajou o mundo
Enquanto a maioria considera o trabalho de Jeanne Lanvin como um símbolo da moda francesa, suas referências iam muito além do Ocidente. De diários de viagem e amostras de tecidos étnicos (saris impressos e cota de malha da Índia) até sua vasta biblioteca de livros de arte não-ocidentais, grande parte de sua inspiração veio de suas aventuras exóticas, particularmente suas viagens ao Egito.

Jeanne Lanvin - Foto: Getty Images
Jeanne Lanvin – Foto: Getty Images

Ela modelava o tecido e desenhava depois
Embora muitos dos desenhos meticulosos do designer estejam expostos no Palais Galliera, Jeanne Lanvin sempre começava seu trabalho modelando o tecido diretamrente no corpo do cliente.

Leia mais:
Casamento no campo: romantismo é essencial
Em sua estreia na Lanvin, Bouchra Jarrar exibe passarela chique e elegante