Foto: Divulgação/Pixabay

Para preservar o bem-estar e saúde dos colaboradores, diversas empresas mudaram suas rotinas e o home office foi uma das ações implementadas, como é o caso do GetNinjas, aplicativo de contratação de serviços da América Latina.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Trabalhar de casa, principalmente por um tempo indeterminado, pode ser desafiador para alguns profissionais. Consultamos Andreia Girardini, diretora de pessoas e cultura da empresa, para listar cinco dicas preciosas para tornar o seu trabalho em casa mais produtivo:

1. Manter a rotina de trabalho

Todo mundo tem uma rotina, até mesmo aqueles que se consideram pouco organizados ou que tem empregos imprevisíveis, como médicos e jornalistas. Em situações de home office, Andreia considera importante criar ou manter uma rotina. Sendo assim, o recomendável é que o profissional acorde, tome banho, tome o café da manhã e até mesmo se vista como se fosse sair para o trabalho (não precisa ser nada elaborado, basta trocar de roupa). Assim, fica mais fácil para o cérebro entender que, apesar de estar em casa, é hora de trabalhar.

2. Respeito aos horários

O profissional também precisa determinar horários: se costuma entrar às 9h no escritório, ele pode ligar o notebook neste horário, por exemplo. A regra se aplica também ao horário de almoço e de finalização do expediente. “Você vai poupar tempo no trânsito, mas isso não significa que tenha que trabalhar mais. A sobrecarga de trabalho faz com que o colaborador perca qualidade de vida, o que causa desatenção e exaustão”, comenta Andreia. Outra recomendação é estabelecer pausas durante o dia. Ao finalizar uma tarefa, é possível reservar 15 minutos de descanso.

3. Espaço apropriado

Para se manter focado, o profissional precisa encontrar um local na casa para trabalhar. O espaço ideal é aquele com boa luz, temperatura agradável e pouco barulho. Além disso, o conforto não deve ser deixado de lado; uma cadeira adequada mais uma mesa são objetos em tese simples, mas que trazem resultados benéficos. Outro ponto importante é que o colaborador informe aos familiares o que o “cômodo ou lugar de trabalho” significa. Assim é possível minimizar e evitar interrupções e distrações.

4. Comunicação com o time

Apesar do modelo de trabalho home office separar geograficamente os times, o colaborador não deve se isolar do restante da sua equipe. Para isso, é importante usar de todas as ferramentas possíveis para que a comunicação não se perca. Segundo Andreia, um diálogo eficaz via mensagens, e-mails, ligações ou até mesmo videoconferências resulta na solução e refreia dúvidas e mal-entendidos.

5. Hora de desconectar

Saber o momento de se desconectar também faz parte do expediente. “Estar em casa não significa estar disponível para o trabalho 24 horas por dia, 7 dias por semana. O profissional não precisa necessariamente responder e-mail às 23h pelo smartphone deitado na cama”, aconselha Andreia. Uma maneira com a qual o colaborador pode se desligar é se desconectar de ferramentas como o Slack e desativar as notificações do Gmail. Para vencer a vontade de conferir a caixa de e-mails, o colaborador pode ocupar a cabeça com outras atividades tais como cozinhar o jantar, ler ou assistir um filme ou uma série.