Escadaria Bramante – Rodrigo dos Reis/Unsplash

Os aficionados por arquitetura e urbanismo bem sabem o impacto que uma escadaria pode causar em uma construção. Mas não é preciso entender de arquitetura para perceber a impressão que elas passam, seja como projeto arquitetônico ou como obra artística.

Na indústria cinematográfica, por exemplo, essa expectativa fica ainda mais clara e evidente: uma imensa parcela de filmes utiliza escadarias para representar momentos impactantes em grandes clássicos, como “Titanic”, o “Encouraçado Potekim”, o “Exorcista”, os “Intocáveis”, e até mesmo em desenhos, como “Cinderella” e “A Bela e a Fera”.

Para se ter ideia da importância arquitetônica desses projetos, recentemente, a cena icônica do “Coringa” fez uma analogia quando o personagem sobe e desce as escadas para representar o caráter subconsciente do filme.

Além do caráter cinematográfico, as escadarias também são menções diretas à estruturas arquitetônicas de grande impacto, ligadas à classe alta e à realeza. Escadas de grandes castelos e casas podem transformar um ambiente. No caso dos castelos, por exemplo, para que houvesse maior facilidade em caso de invasão, as escadas sempre sobem à direita e descem à esquerda, uma forma mais eficiente de se colocar em defesa durante um combate.

O mais interessante, no entanto, é que a presença delas é notável não apenas no dia a dia, mas também na cultura individual de cada região. Seja pela característica religiosa, pela época artística ou mesmo pela funcionalidade, boa parte dos países do mundo tem construções com escadas fantásticas e marcantes.

E, para provar isso, vamos apresentar cinco escadarias que deixam até quem não fez faculdade de Arquitetura de queixo caído.

Tiger & Turtle Magic Mountain

Tiger & Turtle Magic Mountain – Foto: Calvin Fitra Anggara/Unsplash

Localizada na cidade de Duisburg, na Alemanha, esta escadaria surpreende pelas curvas e pela altura: está a 21 metros de altura do chão! A Tiger & Turtle Magic Mountain está categorizada como uma montanha-russa caminhável e tem ao todo 249 degraus. Durante a noite, os corrimões das escadas são iluminados com uma luz de LED. Apesar da classificação, não é possível caminhar nos loopings, que ficam barrados para o público.

Palais Garnier

Palais Garbier – Foto: Bharat Patil/Unsplash

Se o requisito é a beleza ligada ao clássico e à realeza, a Palais Garnier pode ser uma verdadeira visão de luxo. Localizada em Paris, na França, a escadaria fica dentro do Palácio Garnier, projetada pelo arquiteto Charles Garnier. Além de possuir degraus esculpidos em mármore branco, a escadaria também é ornamentada com esculturas de bronze e candelabros.

Escadaria Bramante

Escadaria Bramante – Leonard Cotte/Unsplash

Lar do centro do mundo cristão, a Escadaria Bramante, criada por Donato Bramante, na Cidade do Vaticano, na Itália, é uma das peças arquitetônicas mais engenhosas do mundo antigo: foi projetada para que quem sobe nunca se cruze com quem desce. Os corrimões são adornados com entalhes em bronze.

Chand Baori

Chand Bori – Foto: Wim Arys/Unsplash

Uma das escadas mais famosas em todo o mundo fica em Abhaneri, Rajastão, na Índia. A construção de 3.500 degraus em 13 níveis, apesar de se parecer com uma escadaria, na verdade, se trata de um poço projetado para reaproveitar a água da chuva. No hinduísmo, a água representa – além da purificação – um limite seguro entre o céu e a terra. Então, o projeto se apresenta como uma pirâmide invertida, para manter a água e evitar sua rápida evaporação. A profundidade total é de 30 metros.

Pailón del Diablo

Pailón del Diablo – Foto: Reprodução/umasulamericana.com.br

Para os aventureiros que gostam da interação direta com a natureza, as escadarias do Caldeirão do Diabo, em Baños de Água Santa, no Equador, é uma das mais bonitas. As escadas possuem uma série de mirantes e circundam a cachoeira, que tem queda de 80 metros. É construída de pedra e tem fama de ser escorregadia.